quarta-feira, 24 de maio de 2017

Conversações amistosas com Mr Ladrofê sobre a gênese do autoritarismo e suas fontes face ao espírito do Catolicismo I

Resultado de imagem para cesaropapismo


Antes de iniciar este diálogo farei a meu amigo o mesmo apelo que Gulliver fez a seu amo Huynhnhms rogando que não se ofenda com o quanto haverei de dizer pois sou daqueles que prezam mais o dom da amizade do que as controvérsias em torno da verdade.

Por isso rogo que ouça-me com paciência, exercendo tolerância para com alguém que sendo assaz ignorante deseja apenas instruir-se a aprender.

Principio aludindo a vossa apreciação, segundo a qual minha Apologia a liberdade individual vai totalmente de encontro ao ethos essencial da Societas Christiana.

A TUA OPINIÃO NÃO É ESSENCIAL


Antes de tudo convém assinalar que se o ethos a que se refere fosse mesmo essencial seria necessariamente DOGMÁTICO seria uma heresia nega-lo.

Por isso a simples demonstração de que um número COLOSSAL de Católicos, incluindo teólogos, monges, clérigos, presbíteros, Bispos, arcebispos e Patriarcas opuseram-se publica e oficialmente ao ethos a que te referes - autoritário - bastaria para demonstrar, que segundo a tua doutrina, são eles heréticos, e tu e alguns poucos modernos e inovadores, os únicos Católicos e Ortodoxos da face da terra, o que é rematado absurdo, pois não podem nem os indivíduos nem as minorias estar em posse da verdade e a maior parte da igreja no erro. Seria suster a doutrina protestante e herética da apostasia...

O argumento reverte. Se eles estão corretos, o amigo é que esta em erro gravíssimo, opondo-se como se opõem ao sentir comum dos teólogos, doutores e Bispos, mestres em matéria de fé e ética. 




Não esta de acordo com a sunah dos primeiros Cristãos


Tecida tal conjectura, passo a tese segundo a qual sua opinião - autoritária - é que de modo algum se sustenta nos domínios da História do Cristianismo primitivo, conjuntura em que os Católicos lutaram contra o poder autocrático do César romano em nome de sua liberdade religiosa, que é essencial e inalienável, tornando-se mártires da fé. De fato o Cristianismo principia sua carreira lutando questionando a doutrina pagã, segundo a qual a potestade secular compete exercer juízo em matéria de fé.

Nem se diga, aleivosa e falsamente, que se tratava de mera questão teórica em torno de fé ou doutrina que é resposta boa para luteranos. Os católicos resistiram ao governante em questões de ética, comportamento e ordem prática, assim recusando-se a compactuar com a chaga da escravidão, e a alistar-se no exército e ir a guerra chacinar populações inocentes, como esta escrito na Tradição Apostólica de Hipólito romano, seguindo a pena de excomunhão contra os renitentes...

O veredito inapelável dos Santos Padres


Diante disto nossos Mestre e doutores, presbíteros e Bispos  - Justino, Atenágoras, Teófilo, Tertuliano, Orígenes, Quadrato, Melitão de Sarde, Lactâncio, Arnóbio, Clemente de Alexandria, Hipólito, etc - compusera inúmeras APOLOGIAS NAS QUAIS SUSTENTARAM UNANIMEMENTE A LIBERDADE DA PESSOA HUMANA NO PLANO DA CONSCIÊNCIA COMO ITEM PERTENCENTE A DOUTRINA DA FÉ. 


São eles que julgam, definem e apresentam a fé Católica não tu, nem os poucos expositores posteriores citados por ti, os quais devem conformar-se em tudo com a tradição em matéria de doutrina ou ser classificados como heréticos, exatamente como os protestantes, que repudiam a tradição e exercem um liberalismo ímpio que é o livre exame; heresia é escolha, Católicos não podem escolher o que crer ou não crer, aceitam a revelação em sua integralidade ou põem-se fora da igreja com os pagãos e publicanos.

Curioso que para destruir o liberalismo legítimo sempre ensinado pela igreja assumas o liberalismo mais ímpio e hediondo de todos resistindo a tradição sagrada e imitando os protestantes e heréticos. Pois a tradição é a lei da igreja.

Basta o amigo tomar esses documentos e ler PORQUE LÍ TODOS. 

Os fatos ai estão postos e desafio-o publicamente a demonstrar que estou equivocado e que o ensinamento dos santos padres é outro. 
CAINDO NO MAIS ABJETO LIBERALISMO


O ensinamento dos padres é absolutamente normativo e obrigatório, E A ÚNICA LIBERDADE QUE NÃO EXISTE, É JUSTAMENTE A DO CATÓLICO OPOR-SE A ELE, PORQUE É A TRADIÇÃO E LEI DA IGREJA, quem o diz não sou eu mas o Bossuet - Bossuet bem sabia do que estava falando porque exerceu controvérsia contra os protestantes então seu testemunho é precioso - citado por ti na obra contra Ricardo Simon - "Tolle et lege'.

Quem repudia o ensino comum dos padres e ensina coisas que não ensinaram é fautor de heresia. É o que diz Vicente de Lerins no Commonitorium,  e realmente não o que discutir - Senão por caridade e condescendência - pois todo e qualquer herege é como pagão ou publicano, estando separado de Cristo como ramo quebrado da videira, e posto ao fogo.

Apesar disto ousas declarar: E digo mais: não troco uma linha de autores mais recentes como Joseph de Maistre, Donoso Cortés, Charles Maurras ou Carl Schmitt por todos os escritos dos santos padres.

Palavras estranhas e até impudentes na boca de um Católico!
Os protestantes alegaram exatamente a mesma coisa quanto a seus reformadores - É o mesmo espirito e o mesmo principio anti tradicional e essencialmente anti Católico.

É a mesma tática usada pelos 'católicos' do Von Mises contra a doutrina social da igreja... Peidam para os Santos padres, sínodos e concílios e se consideram bom Católicos vivendo a lá luterana, como se a Igreja, a exemplo da seita de Lutero, não tivesse uma lei.


Chama-se rebelião, sedição, subversão, apostasia. Não sou eu quem o diz mas o Concílio de Trento válido para todos os papistas e segundo os quais nada pode ser sabido ou interpretado em termos de Cristianismo sem recorrer-se aos santos Padres!

A igreja é órgão essencialmente tradicional e absolutamente imutável e citar milhões de nomes de mestres inovadores e profanos não muda absolutamente nada.


ERAM OS SS PES IDIOTAS???

No entanto continuas em tuas objurgatórias anti tradicionais: As lições dos santos padres em matéria de pensamento social e filosofia política não têm hoje qualquer aplicabilidade prática, constituindo tão somente mera curiosidade para o erudito nessa seara,

Isto porque você ou imagina que não passavam 
de capiaus ou tabaréus estúpidos e indoutos, quando a História apresenta-os como poliglotas, sagazes, eruditos, iniciados na mais profunda Filosofia, mestres consumados que deram bases a nossa teologia, conselheiros acatados de príncipes, reis e senadores, etc Havia deles que dominavam hebraico, aramaico, latim, copta, armênio, etc E que conservaram-nos praticamente tudo quando sabemos sobre os escritos perdidos dos antigos pensadores!
Para depois apegar-te a teólogos imperiais que não conheciam misera linha de grego e julgavam conhecer os santos Evangelhos rsrsrsrsrs Mas me poupe!

Caso sejam como foram homens geniais, excelentes, colossais, preparados, habilidosos; como eram e estando de acordo evidente que suas opiniões, no mínimo deveriam ser bem pesadas e consideradas. Não menos que as de Sócrates, Platão, Aristóteles, Zeno, Cleantes, Crísipo, Cícero, etc


É O CATOLICISMO MERA FÉ OU CRENÇA???


A outra hipótese, pior e mais grave, é a ideia segundo a qual a religião Católica resume-se a uma fé ou mística que não se estende como lei ética e projeto social a todos os setores humanos, racionais e livres da existência, abarcando-os por completo e transmudando-os em Cristo. Aqui o erro assume proporção colossal!

Neste caso esvaziar o Cristianismo ou o Catolicismo para converte-lo numa fé somente ou teoria porque somos magicamente salvos no além - Logo completamente desvinculada da imanência e do comportamento humano - é solifideísmo protestante como assevera Maritain nos 'Três reformadores' o qual por sinal admite e deplora que alguns católicos mal informados e confusos tenham adotado esta perspectiva ímpia que esta na base de nossa crise civilizacional.

Ora os papas romanos, lideres de sua religião, tal e qual os SSPadres, legislam sobre todas estas matérias, política, economia, etc e prova cabal disto é a existência de uma doutrina social da igreja alias, magistral e admirável. É prova de que a igreja revindica para si a inspiração de todas as ações humanas, tendo em vista encaminha-las para um fim ético. O contrário é naturalismo. A igreja NÃO admite que seus filhos 'cristãos' adotem QUALQUER TIPO DE  ÉTICA NATURALISTA.

Todo setor da atividade humana pertence a ética e portanto a vida da igreja, quanto aos aspectos racional e volitivo, escapando-lhe apenas o absolutamente material, estrutural ou formal. A parte humana sempre revindicou para si.





O EVANGELHO NÃO É OMISSO!
Continuas e declaras que uma vez que o Cristo não fixou códigos de conduta a serem seguidos cegamente pelos homens (muito embora o SERMÃO DA MONTANHA seja um claro esboço nesse sentido), a Igreja ao longo dos séculos assim o fez. Ao homem comum não deve ser dada qualquer liberdade de escolha, sob hipótese alguma.

Erras. Fixou o código de conduta ética mais excelente O SERMÃO DA MONTANHA e deixou sua sunah ou exemplo a qual também é fonte de ensinamento e lei para os Ortodoxos, não menos que a vida de Maomé para os maometanos.
Tal a doutrina do livro sagrado ou Evangelho.

No jamais observamos o Mestre (Para com os apóstolos ou discípulos) procedendo como déspota, repressor, e arrogante - Embora fosse de fato o plasmador do Universo e Todo poderoso - mas, sempre e invariavelmente como educador compassivo e amoroso. A PONTO DE APRESENTAR-SE COMO SERVIDOR DE TODOS E LAVAR-LHES OS PÉS,  convertendo-se em modelo do homem público, servidor do Bem Comum.
Assim quando João, ainda demasiado jovem e ignorante, aconselha-o a fulminar a vila dos samaritanos que haviam se recusado a recebe-lo e a honorifica-lo, O SENHOR O REPREENDE E DECLARA: Não sabeis porque espírito estais tomados... Porque o espírito de Cristo não é espírito de cólera, vingança, ira ou repressão, mas de paciência, compreensão, condescendência e tolerância face aos mais frágeis.


E quando Pedro usando de coerção física, golpeia a orelha de Malchion com a espada, o Senhor determinaGuarda-a na bainha porque os que apelam a espada por ela serão destruídos  e não como um Thomas Muntzer: Corta, esmaga, pica, esquarteja...





A igreja não TEM PODER para mudar ou alterar os ensinamentos de seu divino fundador





Presumes então que a falta de boa orientação no Evangelho ou discuido da parte de Jesus e seus amanuenses que a igreja fez vigorar outras leis e estatutos.

Não procede.

Nem a igreja romana e tampouco a Ortodoxa jamais revindicaram ter poder para alterar os ensinamentos doutrinais ou práticos (Éticos) de Jesus Cristo emendando suas palavras ou corrigindo o Evangelho, pretensão que todos os Catolicismos classificam como essencialmente blasfema.

Segundo o dr Jungman em Luz e Vida a função de igreja é manter, conservar e guardar fielmente se mínima alteração o que lhe foi confiado.

Assim não esta em seu poder - E ela sempre o reconheceu contra todos os heréticos em especial contra os protestantes, que sendo iluminados revindicam para si tais pretensões - ALTERAR SUA TRADIÇÃO, A TRADIÇÃO É IMUTÁVEL E SUAS BASES ASSENTES NA MAIS REMOTA ANTIGUIDADE. Segundo Crisóstomo a mudança na fé é heresia abominável.

Por isso Waso de Liege e mesmo o agostiniano Bernardo de Clairvoux  - este no século XII !!! -sustentou em alto e bom som a Liberdade de consciência segundo a norma e regra da tradição. Ora Bernardo de Clairvoux a seu tempo era considerado o Oráculo da Europa e árbitro infalível no âmbito da sã doutrina! Isto a ponto do Papa Eugênio beijar-lhe os pés e receber-lhe o 'catecismo'!

Aqui é onde inexiste liberdade algumaPara inovar e romper com a tradição ancestral fixada para todo sempre, quem o faz é herege, quem nega a tradição PROTESTANTE, não Cristão. PROTESTANTISMO É O NOME DESSE LIBERALISMO INSIDIOSO!!!

Posteriormente (Século XVI)foi a mesma doutrina defendida por Genebrardo de Aix, F Fevardentius, Nicolas de Lisieux, Fénelon, etc até a vulgaridade. Quase todos os que defenderam a Liberdade de consciência eram controversistas anti protestantes, sintomático mais uma vez!

NÃO ELES NÃO ERAM MINORIA


Em seguida apelas as circunstâncias e declaras que em pleno ano 313 (Édito de Milão - Constantino César) eram os Cristão minoria e que por isso não podiam tomar armas e chacinar os pagãos em nome de Cristo.

Certamente te equivocas.

Não era minoria alguma, Tertuliano na Apologia, escrita em em 185, assevera que a seu tempo os Cristãos eram já larga maioria, atulhando as cidades do império e que poderiam sublevar-se pela força e conquista-lo, se assim o desejassem, acrescentado que 'No entanto não lhes era permitido fazer por força da lei divina... pois o Senhor os havia enviado pela persuasão da palavra e não com espadas, lanças e vara paus.'

Alias foi o mesmo Tertuliano, noutra parte, que declarou, em nome da Igreja Católica, que a fé não pode vir por imposição, sendo filha da liberdade. Assim Arnóbio e Lactâncio, todos doutores da igreja não opinões ou heréticos.


Declaras que nossos ancestrais, os mártires, eram desorganizados rsrsrsrsrs e por isso hesitaram em recorrer as armas e exterminar os pagãos.Erras ainda - Hesitaram em fazer porque ao contrário dos neo Católicos - Que são absolutamente levianos e incoerentes - eram conscientes, coerentes e portanto submissos a norma e regra da tradição face a qual qualquer mudança ou alteração era vista como abominavelmente ímpia.

Do contrário o amigo deveria explicar-nos (cf Hstr 
dos arianos pelo cardeal J H Newman) porque ainda no século IV (os Cristãos estúpidos estavam demorando muito para aprender com os assírios a empalar seus inimigos) os Cristão Ortodoxos, que eram maioria no Império, foram atacados pelos imperadores arianos e seus exércitos e não revidaram constituindo outro exercito fazendo guerra e massacrando seus adversários???
Optando pelo contrário por gastar resmas e mais resmas de papel e muito mas muita saliva buscando convencer seus perseguidores 

Por que S Atánasio o Grande, defensor da fé nicena, não chamou o exército em sua defesa e não armou os Católicos para que exterminassem os arianos?

Por que S Ambrósio, tendo sua basílica invadida pelo heréticos não recorreu ao gládio e exortou o povo a resistência física?

Por que Hilário e Crisóstomo ao invés de terem amargado o exílio não criaram milícias e estimularam a sedição?
Eram ainda minoria desorganizada em pleno século IV sob Teodósio???
ENFIM POR QUE QUANTO MAIS PRÓXIMOS DE CRISTO E DOS APÓSTOLOS MAIS IDIOTAS E IMBECIS FICAM OS CRISTÃOS, e quanto mais afastados deles mais 'organizados', pragmáticos (!!!), inteligentes, espertos ficam???? A ponto de especular sobre tática, estratégia, Sorel, etc??? Espertos mesmos devem ser esses reformadores protestantes, afinal quem mais afastado no tempo e no espaço desta gente beócio do que eles?

Alias se é para sacrificar capciosamente parte da fé Católica e cultivar meia infidelidade, sacrifique-mo-la por completo e nos façamos espertos, belicosos e totalitários protestantes, os quais por sinal são mestres consumados em todos estes domínios!!! Digo-o por experiência própria como ex protestante!




A IGREJA NÃO CONHECE TÁTICA, ESTRATÉGIA, PRAGMATISMO, MAQUIAVELISMO... 
Devo alertar-te ainda de que a Igreja não muda de tática ou estratégia, não negocia seus princípios, e não se adequa a circunstância - poluindo seus princípios - pelo simples fato de não ter sido fundada pelo histrião Nicolas Maquiavel e de tampouco confundir-se com o partido comunista ou a cabala de Michel Foulcaut, focos de veneno relativista.  Seus ensinamentos éticos transcendem o tempo e espaço, e equivalem a princípios eternos, imutáveis, definitivamente fixados pela tradição e inegociáveis.

O que ensinou ontem a igreja ensina hoje e ensinará amanhã, sem consideração de circunstâncias externas, oportunismo, atenuantes... Tal a força divina de sua autoridade moral.

Assim 
Sua relação com o poder, a política, a sociedade, etc foi fixada já nos primeiros séculos.

O ESSENCIAL AO ETHOS DA SOCIEDADE CRISTÃ A RESPEITO DO QUE A IGREJA E TRADIÇÃO NÃO PODEM SE PRONUNCIAR AUTORITATIVAMENTE - QUE TROÇO É ESTE?
Embora tenhas começado por apresentar tua opinião autoritária como ESSENCIAL em termos de sociedade Cristã. Dali a pouco - Quando apresento a fé normativa da Igreja em oposição a tua opinião individual e falível e muito liberal - te sais com esta: Não há como ter princípios fixos - Isto é a Igreja Católica ou a tradição rsrsrsrs -  num terreno essencialmente movediço, pautado pelo caráter errático e arbitrário da ação humana, como a fenômeno político.

NOBRE amigo, estas mais uma vez apresentando a igreja como omissa, descuidada, irresponsável. Tal princípio é naturalista e manifestação do próprio estruturalismo político. É a etern
a miséria repetida pelos liberais economicistas contra a doutrina social da igreja. Usam as exatas e mesmas palavras para declarar que a igreja não pode ser intrometer na atividade da economia, o que é pura falácia, uma vez que psicologia, filosofia, sociologia, etc são esferas da ação humana e que esta jaz sob o domínio da ética! (O contrário disto - do primado da Ética - chama-se positivismo ou materialismo!)
Implica absoluta falta de conhecimento a respeito do Catolicismo antigo e mesmo medievo, de suas atuações, revindicações, pretensões, etc. 

A Igreja Católica não consiste numa fé ou teoria miserável - Isto é protestantismo - mas em sentido de existência, regra de vida e projeto social absolutamente acabado; possuindo assim uma ética que é objetiva, normativa e fundamentada na tradição dos padres.

Terias razão se falasses a respeito de formas ou estruturas  plenamente materiais: Assim em termos de monarquia, aristocracia, policracia, etc e a respeito da qual seja a mais excelente, tema ou assunto que de fato não pertence de modo alguma a esfera da igreja. Tanto que a I romana por meio de Leão XIII abdicou de julgar a questão, autorizando oficialmente a adesão a democracia burguesa e desamparando as veleidades dos monarquistas, como De Munn, o qual no entanto cumpriu seu dever e submeteu-se ao juízo da igreja cessando de apresentar a monarquia como sagrada ou Católica, como alguns tontos ousam fazer até nossos dias...

O mesmo não se dá quanto ao tema da liberdade por ser metafísico e diretamente vinculado a esfera da religião, a qual tendo sido revelada por Deus é perfeitamente apta para esclarece-lo e soluciona-lo definitivamente, segundo a norma e regra da tradição.

Liberdade é questão de ética, moral, psicologia, antropologia, religião... E não mero tema de política como as formas e regimes de governo.


NÃO HÁ AVANÇO ALGUM EM AFASTAR-SE DA TRADIÇÃO MAS FUNESTO RETROCESSO.

Não existe avanço algum face a tradição na perspectiva Católica, cada vez que qualquer parcela se afasta da tradição e introduz a mutabilidade há retrocesso em termo de fé.
A igreja se encontra em seu passado.

O princípio da igreja é tradicionalista, não progressivista, imutável, não mutável, absoluto, não relativo.

Sobre as lucubrações do protestante Hobbes e seus apaniguados
PURA DOUTRINA PROTESTANTE - "A liberdade de consciência é uma doutrina diabólica." Theodor de Beza, pupilo do anti Cristo João Calvino.
Curioso como os reformadores protestantes sabem muito mais de Cristianismo do que os primitivos padres e doutores da igreja não???

Tais as fontes impuras e imundas de Hobbes:  Thomas Erastus, reformador, pastor, discípulo de Lutero, canonizador do absolutismo régio, etc Daí o nome erastianismo - sinônimo de absolutismo em termos 'cristãos'...


TUDO ABSOLUTAMENTE PROTESTANTE DO COMEÇO AO FIM, LOGO HERÉTICO.


Francamente não sei porque esses Católicos que a pretexto de tudo vivem citando fontes protestantes, e heréticas é claro, não tomam a sábia decisão de passar ao protestantismo, fonte de todas as luzes.

Nós não temos nada a ver com Hobbes e com seu pupilo o rei protestante Tiago I de Inglaterra, outro doutrinador paladino do autoritarismo, mil vezes batido por Dominicanos e Jesuítas... Estes sim, homens da igreja e fiéis a sagrada tradição.


Todas as doutrinas absolutistas sustentadas pelos teólogos protestantes e pelo rei Tiago da Inglaterra FORAM REFUTADAS E CONDENADAS PELO CARDEAL PEDRO BELARMINO (alias santo da igreja romana) no livro contra Tiago de Inglaterra, onde o príncipe da igreja defende a doutrina comum, corrente e normativa, não só da liberdade de consciência, mas da liberdade política. Belarmino foi igualmente polemista anti protestante e isto é sintomático...



O AMOR LANÇA FORA O TEMOR!
Por fim apresentas os seguintes princípios como fundamentos da vida social Cristã:





 - Temor a Deus


Diante disto devo dizem que o conceito de 'temor' ou medo de deus - Alias de absurdos castigos temporais e outras queijandas, além do mítico fogo eterno - remete sempre ao judaísmo, islamismo, seitas protestantes... Ou seja ao padrão grosseiro, primitivo e vulgar as culturas semitas que vocês 'pessoas emancipadas' tanto estimam...

De modo algum ao Cristianismo Católico ou ao Evangelho.

Para os carnais judeus deus era uma espécie de xeque ou líder beduíno com poderes arbitrários e caprichosos, até mesmo para pecar e cometer o mal...

Um Senhor ou dono cuja relação se dava em termos de proprietarismo.

Daí o temor supersticioso e vão que chegava ao paroxismo durante as catástrofes naturais. Nas quais os idiotas viam castigos da divindade...

Jesus alterou por completo esta dinâmica ao
 enunciar o conceito revolucionário da paternidade divia - Que tanto exasperou os escribas e rabinos - estribado no sentimento do amor; paternal e filial. Deus aspira pela suma felicidade de seus filhos, é Benfeitor, é Magnânimo, é Generoso, é Clemente, Pródigo, Afável, Benevolente, Filantropo, Amigo e Amante dos mortais, médico e educador do gênero humano. Não policial ou algoz, carrasco ou psicopata, colérico ou rancoroso, etc Logo, não há porque ter medo dele.

Devemos obedece-lo e servi-lo por amor como declara a espanhola Tereza D Avilla.

Suas punições espirituais são sempre corretivas ou medicinais, jamais objeto de vingança como entre os humanos;

Dai O TEÓFORO JOÃO, QUE REPOUSOU SUA FRONTE NO PEITO DO SENHOR TER ESCRITO:

O amor lança fora o temor.

Se amamos ao Deus Encarnado que por nós morreu na Cruz não podemos nem devemos ter medo dele, é absurdo temer nosso sumo benfeitor como os judeus e muçulmanos temem ao vampiro espiritual que tiraniza suas consciências.
NÃO A ESTATOLATRIA OU IDOLATRIA ESTATAL - APENAS A IGREJA CATÓLICA E ORTODOXA FOI COMISSIONADA PELO CRISTO PARA REPRESENTA-LO E FALAR EM SEU SANTO NOME


Arrematas teu belo discurso postulando uma:
- Submissão absoluta ao Soberano e demais autoridades constituídas por este (civis e eclesiásticas)

Respondo-te advertindo que submissão alguma é digna da criatura racional e livre feita a imagem e semelhança de Deus. 

A obediência cega é estado vil, abjeto e nauseabundo; coisa de bárbaros incultos e gente rude.
Os brutos são montados e conduzidos por outros homens, mas os homens não são brutos!

A criatura racional após ter examinado os fundamentos da fé e cobrado evidênciasdeve obediência inquestionável e absoluta ao Evangelho e a tradição, no plano da ética; e a Igreja Una Santa Católica Apostólica e Ortodoxa no que diz respeito aos dogmas ou elementos revelados da fé, justamente porque revelados pelo Deus encarnado e infalí

vel, o qual não pode enganar-se nem enganar-nos; assim a igreja por ele fundada, pois disse: As portas do inferno não triunfarão sobre ela - EIS A ÚNICA OBEDIÊNCIA JUSTIFICADA PELA RAZÃO E ACEITÁVEL. E já disse que ela é sóbria e tem limites precisos para evitar o abuso e despotismo!

Seguem as leis santas, boas e justas conforme a lei eterna da consciência (Ética) posta no coração de todo mortal pela divindade (cf Antigona de Sófocles e Carta aos romanos). 

As leis iniquas, injustas e opostas a virtude devem ser repudiadas pelo homem virtuoso, o qual preferira como C Pison ou S Thomas Morus morrer do que contaminar e poluir a mente fazendo caso de um déspota ou tirano, o qual nos pode retirar o corpo físico, mas não o espírito vivo e a ressurreição para a vida eterna.

Teme assim o pecado que pode sepulta-lo na geena por muitas eras, e os ministros do pecado sejam quem forem, do lixeiro ao rei ou presidente, e não cede face a quaisquer ameaças ou intimidação a exemplo do teóforo Basílio.
Deve-se resistir ao tirano como fizeram Origenes, Atanasio, Hilario, Ambrósio, Crisóstomo, Maximo, Teodoro Studita, Damasceno, etc 

Mais vale sofrer na mão de um tirano, caso não seja possível suprimi-lo, do que obedecer a uma lei iniqua e pecaminosa que nos force a causar dano ou prejuízo aos semelhantes, nossos irmão, filhos de Deus, aos quais estamos obrigados a amar e perdoar, e suportar com toda docilidade e paciência em Jesus Cristo.

A criatura racional e livre tem direitos essenciais e inalienáveis, segundo estabelecem os teólogos mais doutos e seguros: Vitória, Soto, Banez, Cano, Las Casa, Suarez, Mariana, etc

A criatura racional e livre deve ser educada para tornar-se digna do exercício da cidadania e de tomar parte do governo, segundo os canones da paideia.



PRINCIPADO SECULAR E LEI DIVINA ETERNAMENTE SEPARADOS POR DECRETO DIVINO!

 A 'Voz de Deus' se manifesta na vontade do Soberano e da Suma Autoridade religiosa, ponto final, diz você

Devo retrucar e responder que sua tese é absurda. Tome lá um exemplar do Evangelho, leia e aprenda algo: A DEUS O QUE É DE DEUS e César do que é de César!


Aqui sim, não há o que discutir, mas que cobrar submissão total e absoluta.

Quem eleva o César as alturas de Deus abate e nega Jesus Cristo não menos do que arianos!

Pois o principado secular ou César nada tem a ver com Deus, o Deus do Evangelho ou dos Cristãos. Era deus e pontífice dos romanos pagãos, para a igreja nada é.
A Igreja não beija os pés do César, não venera o espírito do império, não se curva face as águias dos estandartes, não adere a esta idolatria!

Isso é bom para os protestantes paulinistas (Hegelianos e estatólatras) que substituem Paulo por Cristo e usam as opiniões do fariseu filho de fariseus e aluno de Gamaliel com que demolir as lições claras e evidentes de Jesus Cristo.

Os Católicos jamais servirão a um Hitler, a um Stalin, a um Bush, etc como fossem ministros ou sacerdotes escolhidos pela Santa divindade.
Os Césares mesmo após a vitória do Cristianismo foram porta vozes do inferno, combateram a doutrina Ortodoxa, poluiram o universo e massacraram os fiéis, porque eram vasos de heresia em oposição a igreja; assim:





OS CÉSARES QUE COMBATERAM A SAGRADA FÉ A MARTIRIZARAM OS FIÉIS COM ARMAS NAS MÃOS!


Constâncio e Constante, arianos filhos de Constantin; Juliano neo pagão, Arcádio adversário de S João Crisóstomo, Zeno autor do Henóticon e algoz de S Maximo, Constantino Copronicos e Leão Isauriano, imundos iconoclastas - A SEGUIR ESTES VERMES A ORTODOXIA TERIA SIDO CORROMPIDA E BANIDA DA FACE DA TERRA.

Assim ao tempo de reforma quando nobres, principes e reis, apelando a este principio pagão e anti Católico sancionaram o 'Cuius regio est religio' para em seguida - com seu poder e em nome de Deus - canonizarem a abominação protestante, demolir os mosteiros, massacrar os monges, proibir a Missa, profanar os sacramentos, partir as imagens... T
udo em nome do principado secular, arvorando-se em ministros e representantes de deus!
 



SE A RELIGIÃO CRISTÃ É TÃO ASQUEROSA E DESPREZÍVEL QUE PRECISE MANTER OS FIÉIS EM SEU SEIO POR MEIO DO TERROR???
Dissestes que ao braço secular e potestade civil cabe vir em auxílio da igreja impedindo os Cristãos de apostatar e obrigando-os a professar nossa Santíssima fé.

Eis o cúmulo do delírio!

Portanto deixe-me já dizer-lhe que a Igreja Católica não é uma porcaria como judaísmo, o islã ou o protestantismo que precise de césares, exércitos, armas ou poder secular para obter aceitação, apoiar-se e conservar-se.

Declarar que a igreja precise de armas para manter seus filhos equivale ao supremo insulto feito a instituição divina da igreja.

O erro e a mentira precisam de tais recursos para resistir a Verdade, não a Verdade eterna que procede dos céus. Esta não depende de gládios, lanças, espadas, venábulos ou vara paus, pois se sustenta a si mesma graças aos dotes que contém!

É a Igreja divina e superior as religiões humanas 

Não tem concorrentes verdadeiras. 

Esta tão acima dela quanto o Sol acima da terra e o firmamento dos céus acima das águas!

Nem lhe faltam beleza, verdade e bondade suficientes para atrair, conquistar e prender as criaturas racionais mais nobres e excelentes. Requer aceitação e serviço livre, voluntário, consciente e meritório; filhos abnegados até a morte e não vis escravos e gente abjeta.

Que péssima ideia fazes tu da igreja qual fosse uma velha bruxa desprovida de predicados e atrativos!

A Fé Cristã é digna de livre aceitação e adesão graças a seus dotes, a sua coerência interna e puridade, apanágios que lhe foram conferidos pelos céus eternos e não pelos homens. 

Ela dispensa o serviço de falsos lacaios que dela pretendem abusar com objetivos meramente temporais, santificando seus vícios e maldades. 

Por isso Maurras foi condenado e excomungado por vosso papa de Roma. Outra não teria sido sua sorte na Ortodoxia... Pelo simples fato de ter concebido a igreja como meio e não como fim, caindo no naturalismo pérfido em que jazem todas as culturas de morte. NATURALISMO SIM É PECADO!

Todo aquele que concebe a mãe igreja, mestra da verdade em termos de polícia moral ou social em benefício do principado secular sempre terá dores de cabeça. Por relaxada que esteja a igreja, ela é e sempre será domínio que jamais prostituíra a consciência ou se curvará face ao capricho arbitrário de psicopatas, demagogos, sicofantas, convertendo-se em capacho deles, busquem capachos nas seitas protestantes e serão bem servidos por alguns tostões!


A DOUTRINA DA INFERIORIDADE ESSENCIAL DE PARTE DO GÊNERO HUMANO É ESSENCIALMENTE MÁ E CONDENÁVEL.



A única excelência legitima é a da virtude, seguida pela do intelecto e estão e devem estar ambas franqueadas a todos os seres humanos.

Os indignos pertencentes as massas só devem permanecer alijados do poder 'sub conditio' ou enquanto não se tornarem dignos pela instru
ção e pela virtude, de modo que a policracia não venha a degenerar em oclocracia. 

Esta aristocracia da excelência, do mérito ou da virtude deve ser aberta a ampliar-se gradativamente até incluir todo corpo social, o que obviamente demanda imenso esforço educativo a ser assumido pelo intelectual Católico.


Toda e qualquer petição a uma desigualdade essencial, absoluta e invencível remete ao maniqueísmo sendo herética e condenada pela mãe igreja, bem como pela razão sicut Socrates, Platão, etc

Toda ideia de aristocracia ou elite fechada em si mesma é anti Católica.

Eis o que tenho nobre e excelente Ladrofê a dizer sobre tuas objeções e não poderia de modo algum silenciar a respeito delas pelo acato que devo ter para com a Igreja minha guia, mãe e mestra e pelo Cristo, Verbo encarnado, meu Deus e senhor verdadeiro e sumo legislador do gênero humano. Ele é o fundamento da cidade eterna que devemos construir no tempo e no espaço e sua lei fonte de todas as leis!

Nenhum comentário: