quinta-feira, 23 de janeiro de 2020

Por que 'Ela só pensa naquilo...' - O propósito de Damares Alves e da Continência...

Não me julgo fanático, exceto pela liberdade.

Compreendo assim que livremente assumida a continência sexual ou o celibato, representem valores dignos de respeito. Assim se alguém gerencia ou controla sua sexualidade sem tornar-se neurótico ou por ter um propósito/sentido mais elevado, quem sou eu para critica-lo? Nem posso deixar de encarar o que chamam de sexismo i é a super valorização da dimensão sexual como algo negativo. Quando afirmamos que a sexualidade não deve ser satanizada/negativizada mas encarada com naturalidade não queremos dizer com isto apresentar o sexo como supremo valor da vida humana ou a sexualidade como seu aspecto mais importante. Para nós a sexualidade, mesmo quando encarada com naturalidade, sempre será parte da vida, não a vida. Nós não assumimos a posição de um Marquês de Sade, deplora-mo-la, tanto quanto deploramos o maniqueísmo. Uma coisa é o corpo ser aceito, outra negado e outra idolatrado... fugimos aos extremos.

No entanto, enquanto parte, defendemos uma sexualidade livre e isenta de pre conceitos.

E quanto a continência ou ao gerenciamento da vida sexualidade, encara-mo-lo como possível valor apenas quando livremente assumido pelo sujeito a partir de suas conclusões, i é, apenas quando é significativo para ele e jamais como algo imposto por alguém ou mesmo pela sociedade.

Como fator formativo da personalidade humana a dimensão sexual da vida deve ser considerada com todo cuidado e certamente ser gerenciada pelo sujeito. Claro que no setor familiar da Sociedade serão oferecidos ou mesmo impostos certos tipos de conduta como desejáveis, isto a guiza de educação. Desde que não haja excessos, como a agressão, temos um fenômeno normal. Certamente que a partir daí podem resultar seríssimos problemas. Tal no entanto é o curso da vida, ao menos em seus primeiros passos. Agradeça a natureza ou a Providência aquele que teve a sorte de obter pais ou educadores amorosos, liberais e pacientes. Os demais só tem a chorar...

No entanto para além da infância e da adolescência, é normal e justo que o homem adulto, na posse de sua liberdade, reconsidere os princípios e valores recebidos, mormente quando lhe parecem já sufocantes, já tacanhos; e quando produziram em si determinados problemas ou patologias psíquicas, assim traumas, bloqueios, fobias... Pois tudo isto e muito mais pode produzir uma sexualidade artificial, reprimida ou excessivamente limitada. Então é justo que, apesar das ameaças dos padres arrogantes ou dos pastores imbecis, a pessoa se reavalie e reconstrua a si próprio, questionando a educação sexual que recebeu.

Normal que os pais controlem - até certo ponto e apenas com determinados meios - a sexualidade dos filhos e não trataremos mais disto. Parece um direito ou uma necessidade natural, mesmo quando sofra os mais terríveis abusos por parte de pais neuróticos.

Agora por que raios aspiram os padres e pastores (No tempo presente estes antes de todos)- Por vezes os reis, presidentes, generais e patrões... gerenciar a sexualidade alheia?

Já disse que sexo é poder e que o exercício da sexualidade implica relações de poder, mais talvez que de afeto... Controlar a dimensão sexual do outro é controlar o outro, é domina-lo, é dispor dele. Quando alguém dispõem do poder de uma Nefer Nefer de 'O egipcio' (Mika Waltari), de uma Dalila, de uma Lais, de uma Gruchenca... estebelece-se a relação senhor/servo, uma escravidão. A dependência afetivo/sexual pode ter a força de correntes e cadeias, advertem o padre e o pastor, partindo da fina psicologia do antigo testamento, cujo fundo talvez reconheça a grande força ou o grande poder da líbido sobre o sexo masculino. Não vou entrar aqui nos termos da relação Homem, Mulher e Líbido ou dependência -

Sucede porém que a mesma relação por assim dizer 'se reproduz' sempre que outrem, seja padre ou pastor, passa a direcionar a sexualidade alheia. Também aqui, por meio de uma continência ou de uma abstinência imposta (Na qual muitas vezes não se vê o mínimo sentido.) por uma autoridade externa, estabelece-se uma relação de dominação e poder, mesmo porque, quem admite ser guiado externamente quanto a própria sexualidade dificilmente estabelecerá limites ou fronteiras quanto a qualquer tipo de controle externo, concedendo em ser dirigido por completo i é quanto a todos os setores da vida. Uma pessoa dominada por outra quanto a todos os setores da vida, tendo abdicado de sua liberdade, converteu-se num boneco ou numa marionete.

Voluntariamente assumido por uma pessoa adulta a Continência ou o Celibato podem ser libertadores  e contribuir no sentido de constuir-se uma personalidade heroica, no pleno sentido da palavra. Já dissemos: Controlar, dominar ou gerenciar a concupiscência ou pulsão (Impulso) sexual, transferindo esta energia para outro setor qualquer da vida e escapando a neurose, é quase uma obra divina.

Abdicar artificialmente da sexualidade por imposição externa, além de ser a porta de entrada da neurose e da insanidade, pode estabelecer uma relação desigual de poder e assim dar vezo a um controle moral, econômico, social e político. Generais, técnicos de futebol, demagogos politiqueiros, patrões ambiciosos, etc sucedem cada vez mais ao charlatão ou déspota religioso, buscando impor a transferência de energia, e obter um time ou exército vitorioso ou uma maior produção de bens...

Felizmente patrões, técnicos, ideólogos, etc não dispõem do mesmo poder que os padres e pastores ou dos meios de um General. E o atleta, o proletário, o afiliado e mesmo o soldado (Fora da caserna) sempre poderão farrear e burlar ou mentir. Os líderes religiosos apenas podem possuir a alma e o coração do homem, mesmo quando o ameaçam com os míticos fogos do inferno... e é aqui que o controle obtém sucesso e se torna absoluto. Caso o lider decrete: Vocês, meus fiéis, transarão ou farão sexo assim e assado (Estabelecendo um roteiro ou receita em nome de Cristo), a situação esta decidida e aqueles que concordam sinceramente convertem-se em matéria plástica... como cera quente.

Nem se trata de chegar ao celibato ou a abstinência provisória absoluta. Basta que as formas sexuais sejam dadas ou definidas por outrem no sentido de permitido e não permitido. Admitido este tipo de moralidade temos o controle. Talvez por isto o Verbo Jesus praticamente não revindicou autoridade sobre a sexualidade humana ou apresentou seu Evangelho como um Kama Sutra, dum Deuteronômio ou de um Sahi (Hadith), recusando-se a fazer o jogo dos oportunistas e ambiciosos e confiando no poder da verdade. Quando leio o Evangelho, buscando mostras de controle sexual e falhando em encontra-lo, não poucas vezes consolida-se minha fé na Divindade deste Jesus que tem tão pouco em comum com os manipuladores de homens e demagogos.

Tornando ao tema em questão, depreende-se do quanto foi escrito e do fato segundo o qual, não possui a sociedade política sólidos e profundos conhecimentos psicológicos a respeito da personalidade humana, a ponto de, tal e como os pais e responsáveis, gerenciar a sexualidade alheia ou mesmo educa-la, impondo qualquer tipo de padrão comum ou coletivo. Os pais exercem tal gerenciamento por necessidade absoluta, dentro dos limites de seus lares. E cada lar assume um tipo de olhar, lei ou padrão distinto, não cabendo a sociedade ou ao poder político selecionar ou padrão ou julgar o tema. Mormente quando devem estes jovens obter a autonomia, fugindo inclusive a autoridade paternal. De modo algum poderia o Estado assumir este caráter paternal ou paternalista - a menos que o velho Filmer estivesse correto rsrsrsrsrs - apresentando-se como cuidador de um rebanho de adultos, aos quais pelo contrário convém dirigir todos os assuntos do Estado, desde que principiem por obter a autonomia que os caracteriza como pessoas humanas e não como vil rebanho de alimárias!

Alias a simples ideia implícita no projeto do Estado anti liberal brasileiro educar sexualmente os jovens, sugerindo-lhe modelos de conduta, já pressupõem a intenção de gerenciar e uniformizar e assim de dominar o futuro cidadão, convertendo-o em simples tutelado, impedindo-o de atingir a autonomia e consequentemente frustrando os ideais liberais e democráticos. É uma refinada e oculta forma de controle e opressão imposta por um governo híbrido ou amorfo, parte militarista e parte economicista liberal, inspirado nos modelos irracionais e sectários importados dos EUA.

O espectro do maniqueísmo estatólatra - Satanizando a dimensão sexual da vida...



Resultado de imagem para john stuart mill


É necessário fechar as portas do totalitarismo... Tranca-las, trava-las com ferrolhos de aço, com os ferrolhos do liberalismo, não do econômico e dúbio é claro, mas, com os ferrolhos dos liberalismos saudáveis, do Liberalismo moral, do Liberalismo social e do Liberalismo Político, guardiões de nossa civilização, ou do que ainda resta dela.

Neste sentido toda e qualquer brecha ou fissura deve ser imediatamente denunciada e execrada, por mais inocente que pareça ser. Toda grade inundação ou avalanche começa com uma pequena rachadura ou com uma pequena pedrinha... a qual se vai abrindo, ou rolando, e tudo arrastando em seu percalço e semeando morte e destruição. Tudo no entanto começou com uma gotícula quase invisível ou com um pedacinho de cristal.

Como o menino da fábula há que se por o dedo no furo e ali ficar. Para salvar o dique ou a represa. Não podemos deixar de perceber o desprendimento da pedrinha, e de gritar - Alerta, alerta!!!

É sintomático e doentio que todas as atuais e indevidas intromissões do poder público ou do Estado nas vidas dos cidadãos e em nichos que devem ser regulados pela Liberdade pessoal (Como a moralidade) partam sempre daqueles que condenam as mesmas intromissões no campo divino ou sagrado da economia (Economicistas)... Aspiram estes senhores - demagogos ou fariseus - emancipar as atividades econômicas (Inclusive face a certas exigências ÉTICAS) as custas de outros setores da atividade humana, como a política, a moralidade, etc Até podemos avançar e declarar que boa parte dos liberais economicistas são, concomitantemente autoritários em política (E favoráveis a sistemas ditatoriais ou despóticos desde que canonizem suas opiniões econômicas), puritanos ou moralistas e não poucas vezes fanáticos e intolerantes em matéria de religião.

Engana-se redondamente aquele que faz dos liberalismos um embrulho ou pacote só. Pois as aspirações do Liberalismo econômico são totalitárias e absorventes. Já declaramos um bilhão de vezes - Há um terrível conflito entre os Liberalismos e o pivô é o liberalismo econômico - Prática falaciosa que aspira afirmar-se as custas dos demais liberalismos (essenciais) sacrificando-os.

Este conflito, facilmente negado - Pelos oportunistas do pacote - faz-se cada vez mais patente em todo nosso mundo ocidental, dos EUA ao Brasil, onde vemos os capitalistas unidos e associados não apenas a ditadores, déspotas, tiranos, militarizantes, autoritários e golpistas, mas também a massas e líderes religiosos fundamentalistas, cuja suprema aspiração é criar ou recriar estruturas repressoras e moralizantes nos moldes da Torá ou da Sharia e a partir delas dominar, oprimir e escravizar mentalmente os homens livres, privando-os de sua autonomia. Compreende-se que a religião, através da vida Ética, seja INDIRETAMENTE totalizante - nos princípios e valores éticos que afirma e propõem para seus seguidores. E nisto vemos um bem. Outra coisa é ser totalitária e aspirar servir-se do Estado com o sórdido objetivo de impor uma uniformidade moral, pautada em preconceitos absurdos. Monstruoso é o Estado, por meio dos falsos liberais (economicistas), que dele se apossaram por meio de uma estrutura democrática meramente formal, aproximarem-se deste setor obscurantista.

No passado acreditava-se que os liberalismos essenciais cairiam sob os golpes do Comunismo, do Fascismo ou do Nazismo... Ora percebemos que vacila sob os golpes do fundamentalismo religioso ou sectário (Sempre resistente ao éthos ou a orientação LIBERAL, essencial a vida democrática e fundamento seu), cada vez mais alimentado e apoiado pelos economicistas traidores do liberalismo, os quais querem um Estado mínimo ou policial apenas em termos econômicos ou de propriedade. Desde que possam 'Comprar e vender' - O termo pejorativo é de Confúcio - pouco se lhes dá que as massas ou o povo como um todo seja entregue como rebanho ou gado nas garras dos líderes religiosos sem consciência... Pouco se lhes dá que a Torá ou o Corão prevaleçam política e socialmente desde que se mantenham ricos ou em posse do poder.

A suprema ameaça enfrentada pelos liberalismos essenciais e por toda civilização ou seu projeto é esta sútil aliança entre o banqueiro, o deputado/presidente e o pastor, i é entre o poder econômico (Em posse do político ou no controle) e esta fermentação sectária que demanda por uma estrutura teocrática e, consequentemente, por uma sharia ou inquisição destinada a eliminar os dissidentes e a extinguir as diferenças, até uniformizar moralmente o homem, convertido já em escravo...

O objetivo agora - Pasme cidadão!!! - é queimar dinheiro público favorecendo um determinado ideal - Particular, jamais público! - de éthos sexual: A abstinência ou melhor a continência. Nada de novo debaixo do sol... Parte considerável da igreja romana sempre foi favorável a tal tipo de solução, mas, apenas uma parte ainda menor ou mínima, arvorou-se em dirigir os governos anteriores, tendo em vista esta finalidade. Em geral a igreja romana - fazendo uso de um direito que é seu - limitava-se a orientar seus fiéis quanto a esfera da vida pessoal. O que ora assistimos, trinta ou vinte anos depois, é a atitude concreta de apossar-se do poder público e de volta-lo para uma finalidade que a própria igreja romana, há mais de trinta ou quarenta anos, reconheceu como pessoal. É algo voltado para os partidários de tal e tal agremiação religiosa, não para os cidadãos como um todo. Uma vez que as concepções e valores sexuais são distintos e todos merecem - do ponto de vista social - a mesma tolerância.

Se não cabe a esfera da religião impor tais valores e tais práticas no contesto de uma Sociedade pluralista, menos ainda ao Estado pode caber tais aspirações!!! Não cabe a uma dada seita ou grupo religioso julgar uma sociedade política pluralista. Como não cabe ao poder político faze-lo, arvorando-se em juiz de moralidades distintas. Foi o governo constituído para velar pelo bem comum ou pela dimensão do comum, assim pelos imperativos da ÉTICA, pela interação e conduta social, etc não para interferir na dimensão privada das vidas de seus cidadãos. Sem que disto deixe de resultar a mesma confusão entre o público e o privado que alimentou - A não muito tempo - a prática anti liberal e anti democrática da censura e pouco antes dela as inquisições e autos de fé.

Penso e julgo que os cidadãos livres deveriam fazer algo de concreto face a tal abuso. Pleiteando junto aos meios jurídicos, últimos guardiães dos princípios e valores liberais... O que a cidadã Damares esta planejando nada é além de mais uma investida - A última foi contra a agremiação artística Porta dos fundos - urdida pelos fundamentalistas e fanáticos religiosos (Em geral bíblicos, calvinistas e pentecostais - Sempre com o apoio e imbecis úteis pertencentes as igrejas Ortodoxa e romana.). São eles os principais promotores desta nova Cruzada puritana ou moralizante bem a gosto dos E U A.

Aprovado esse tido de campanha não tardarão os moralizantes (Exportados pelo Sul dos E U A) a
avançar e ditar 'regras' a fala, ao vestuário, ao cardápio, etc até chegarmos ao modelo da Genebra de Calvino, o qual sempre pretenderam impor a sua pátria de origem - Sem que jamais obtivessem completo sucesso. Admitida uma intervenção esses urubus jamais recuarão, pararão ou se darão por satisfeitos. Até lançarem toda Torá pela guela desta infeliz república, convertendo-a em Califado bíblico protestante. Começarão, a princípio, idealizando outras tantas campanhas com o dinheiro público - Isto com o objetivo de criar entre nós (Ou de consolidar) uma consciência puritana ou moralista tanto mais agressiva. Serão campanha contra o Palavrão, a Masturbação, a Homo afetividade, as roupas curtas ou imorais, determinadas músicas ou danças até chegarem a abstinência de álcool, exatamente como nos E U A...  Em seguida eles tentarão impor tais costumes ou pontos de vista e opiniões por meio da lei.

Consiste isto em utilizar do erário com o objetivo de construir ou alimentar determinada consciência IDEOLÓGICA. Levado a cabo, hipocritamente, por um governo que se diz descomprometido ou não ideológico, apenas por não ser comunista rsrsrsrsrs Como se fosse o Comunismo a única Ideologia da face da terra... Enquanto o governo fiscaliza ou finge fiscalizar, arbitrariamente, uma única janela, entram ideologias muito piores (Inspiradas no Sagrado!!!) pela porta escancarada de um Estado muito pouco liberal.

Foi um ministro do STF que recentemente proferiu esta alocução imortal (Se bem que constante num autor como John Gray - Apud Anatomia): Estamos assistindo a uma manobra maligna, a construção de um Estado democrático não liberal ou anti liberal. Noutras palavras: Ao invés de avançar e construir uma democracia cada vez mais real e proativa como na Antiga Grécia, estamos implementando aquele modelo defeituoso de Rousseau (apud Nisbet), apenas uma casca ou carcaça de democracia, uma mera estrutura externa (Sem vida) ou formalismo. Um tipo de democracia como este, destinado a impor a vontade de algum grupo majoritário e a extinguir a liberdade não é democracia, apenas tirania exercida pela maioria, e em detrimento de direitos fundamentais.

Num momento crucial como este só me pode ocorrer e vir a mente uma figura.

A figura exponencial de um J S Mill. Espectro hoje - Para quem tem a felicidade de conhecer - mais ameaçador do que o de um Marx ou o de um Proudhon, quando penso Mill, penso Freud, Malthus, Peter Singer, Marcuse, Nearing... E alguns outros rebeldes seletos. Imaginem só, face a mística irresponsável e destrutiva de um capitalismo - C ujas aspirações parecem ser infinitas o valor de um conceito tão racional quanto "Economia estacionária". Foi cunhado por J S Mill há século e meio. No entanto Mill soube ir além e levar seus princípios as derradeiras consequências. Por isso Gray (Opus cit.) ousou declarar que ele aceitaria com absoluta naturalidade tanto a prática da Eutanásia quanto a da Homoafetividade como decorrências lógicas e necessárias de sua doutrina sobre a liberdade, alias, a que tem dado suporte a nossa cultura democrática e vivificado nossas instituições marcadas por guerras fratricidas, pogrons, golpes, censuras e inquisições.

A figura soturna e patética da Sra Damares oponho este colosso do pensamento humano chamado J S Mill. Isto numa Era preocupante, em que as massas tupiniquins principiam confundir Mill ou Ellul com Marx, liberalismo político ou policracia com Comunismo (rsrsrsrs). Alias para eles tudo é comunismo é os pastores ineptos só avançam graças ao espantalho do Comunismo, o qual falseiam e distorcem, apenas para apresentarem-se como nossos defensores...



Imagem relacionada

quinta-feira, 16 de janeiro de 2020

Freixo, Lula... Bolsonaro, Edir, Malafaia - Rolando de abismo em abismo...

Resultado de imagem para Lula e Crivella





Errar uma vez é cometer simples erro, porém errar repetidamente, diz o adágio, é burrice e rematada burrice.

E se na vida corrente ou comum a burrice produz sérios danos, quanto mais na vida política ou no gerenciamento do Bem Comum. Afinal é a política arte ou ciência de bem gerir o Bem comum, assegurando a todos os cidadãos máxima qualidade de vida. Tal a importância da política...

E por ser assim tão importante deveria ela estar a salvo das eventuais idiotices cometidas pelos mortais.

Isto do ponto de vista da idealidade.

Pois do ponto vista da realidade é o que não se dá. Temos uma política, ou pior, temos diversas políticas burras, independentemente da orientação ideológica.

Caso pudesse condensar meu pensamento em poucas palavras diria que eles não leram, que jamais leram Délcio Monteiro de Lima - Os demônios descem do Norte - e menos ainda Max Weber. E que se leram Marx e Engels, aos quais teem por gurus, nada compreenderam. Daí cometerem sucessivamente os mesmos erros. E comprometerem a Civilização.

Curiosamente cometem o mesmo erro na Europa, alias na França, onde a esquerda imbecil tem, tradicionalmente, defendido os interesses dos muçulmanos, em que pesem seus ideias assumidamente teocráticos e liberticidas.

Aqui e lá a esquerda desorientada busca apoiar-se na 'Cana quebrada' do fundamentalismo, aqui do bíblico, pentecostal ou protestante; importado dos EUA (A fé essencialmente burguesa descrita por F. Engels, a qual segundo o imortal Weber, seria responsável pela afirmação do modelo capitalista.) e do outro lado do Atlântico, do fundamentalismo sunita, hambalita, wahabita, salafita... com o eterno ideal da sharia e seu padrão cultural árabe. Cana quebrada que poderá furar-lhe as mãos, aqui ou lá... Aqui e lá...

Da curiosidade passamos ao enigma ao constatar que há quase meio milênio um autor francês: Guillaume Postel - Em obra que lamentavelmente passou em 'branca nuvem'- ja assinalava as semelhanças existentes entre o islamismo e o protestantismo nascente.

Tanto pior aqui nos rincões do Brasil. Onde a intelectualidade marxista sequer lê Marx e Engels. Que dizer então de Max Weber ou dos clássicos franceses???

Veja que estava folheando ainda ontem uma parlenga do Roger Garaudy - Pensador romano que após ter abraçado o marxismo Ortodoxo ou Comunismo acabou por aderir ao islã! - publicada em francês pelos idos de 1942 - "Comunismo e moral." (Em espanhol "Comunismo, moral y cultura"). Uma filípica dirigida aos críticos romanos ('Católicos') do materialismo, na qual Garaudy principia apresentando Descartes (Antonio Damásio teria um infarte ao ler isso...) como 'materialista' e Spinoza como ateu (Exatamente como os padres babões que estava criticando), e por ai seguem as monstruosidades ideativas... Concebidas pelo tal marxista, para quem os opositores 'católicos' do Comunismo ou de Stalin seriam todos Hitlerianos ou nazistas, mesmo quando assumidamente democratas. Em seguida, o destacado comuna falseia a noção da liberdade, asseverando que ela só é possível no âmbito coletivo e assim estatólatra, deixando bem claro que nada sabe a respeito daquela liberdade pessoal que delineia os atos morais, como qualquer nazista ou fascista totalitário.

Acho natural que certa parcela de comunistas identifique-se - por patético que possa parecer - com os muçulmanos ou com os calvinistas, i é, com os sectários religiosos que se opõem a noção de liberdade pessoal, esboçando algum tipo de determinismo religioso, em termos de destino ou predestinação. Tornamos a G. Postel e sua análise genial... Mesmo em 'terra brasilis' há tipos assim e eu já tive a oportunidade de dialogar com um Calvinista Ortodoxo que é, igualmente, formador comunista e, marcadamente, adversário da doutrina do livre arbítrio ou da liberdade pessoal.

Naturalmente que nem todos os comunistas tem consciência de tais 'afinidades eletivas', passando muito a largo delas. Tanto pior em nossa 'província'... Que dizer então de Freixo ou Lula... Os quais sequer são comunistas, sem que por isto sejam sociais democráticas ou pertencentes a qualquer escola socialista. Nem Lula é socialista nem Bolsonaro é fascista - Afinal este jamais leu uma página de B. Musolini como aquele jamais leu vírgula de Jaurés, Herr, Blum, etc Bolsonaro pratica autoritarismo militarista associado minimalismo, algo bem norte americano... Lula, durante muito tempo praticou um socialismo bem sucedido. No entanto mesmo seus críticos petistas e socialistas assumem que ele falhou em não produzir uma consciência socialista, que service de suporte a si e a seus sucessores. Lula nem poderia, alheio ao culturalismo, trabalhar a teoria da cultura ou formar uma consciência socialista e por isso mesmo seu projeto reverteu. Pois ele formou apenas consumidores, engrossando as fileiras de uma classe média alienada.

Votei nele por duas vezes e com mais razão em Dilma, teria votado nele uma terceira vez, como tive de votar - a contragosto - em Hadad, mas, tal e qual um grande amigo meu, pelo mesmo motivo, não votarei nele, Lula, pela quarta vez. Como não teria votado em Freixo.

Temo que pessoas como Lula ou Freixo se tenham apegado ao poder e adotado o lema do fim que tudo justifica. Salvo lhes mova apenas a ignorância crassa, o que, no caso deles ambos, não é menos grave.

Tanto Freixo quanto Lula conhecem por experiência que é a nociva bancada evangélica e quais são seus propósitos, em termos de teocracia ou de privilégios. Mesmo assim Lula optou ou optara por conceder-lhe mais poder e visibilidade, inclusive nomeando o atual prefeito do Rio M. Crivella, ministro de Estado. Sucedeu-se exatamente o que havíamos dito e previsto; obtendo ainda mais poder e força na gestão de Dilma nenhuma plataforma tornou-se mais hostil ao programa levemente socialista desta senhora do que a dita plataforma ou bancada evangélica, cujo líder, o pastor pilantra Ed. Cunha deu início ao golpe que acabou por derruba-la e por impor ao povo brasileiro, mais uma vez, um ideário liberal economicista. O que quero destacar é justamente o papel dos fanáticos religiosos, dos bíblicos e fundamentalistas neste processo que acabou por comprometer a ordem democrática e a institucionalidade, travando inclusive a reforma política...

Em todo este processo que sabotou o futuro de nossa sociedade estavam ativamente inseridos os políticos protestantes ou bíblicos. O que não foi novidade para mim, ex protestante que sou.

Em seguida trataram de instrumentalizar os neo católicos' (romanistas) ingênuos e em parte já protestantizados e de apoiar a candidatura do norte americanizante Bolsonaro, recorrendo para tanto, ao fabulário com que os pastores sempre atacaram ou satanizaram não apenas o Comunismo mas qualquer forma de socialismo existente (inclusive o Cristão). Marx foi apresentado como o anti Cristão, Engels como a Besta, Lula como possesso e os socialismos todos como a pura e simples apostasia. O liberalismo econômico como sempre foi canonizado e apresentado divino a partir da dita bíblia, com um empurrãozinho do livre exame... Por fim todas as questões puritanas ou moralistas foram lançadas aos quatro ventos, baralhando ainda mais o cenário. Com o livro negro nas mãos e um pouquinho de imaginação os sectários esmagaram o lulopetismo e encadearam ao que chamam luladrão...

O mais curioso face a este cenário doentio é que o próprio lulopetismo e setores psolistas representados por Freixo, falseando consciente ou inconscientemente a questão, declararam que apenas uma ínfima minoria de evangélicos havia tomado parte em tais eventos e que a maioria deles era progressista ou mesmo - pasmem! - socialista... Não podia crer no que estava a ler, mas lí... Bem, eu sou ex protestante e por experiência conheço relativamente bem o mundo e o ideário protestante. Não sei portanto de onde Freixo e Lula tiraram semelhantes impressões, exceto pelo propósito de agradar a todo custo e assim de obter apoio e poder.

Claro que também há progressistas no meio protestante, e até haveria um número significativo caso
admitissemos que a maior parte dos anglicanos ou anglo católicos, sejam protestantes; quando são episcopais, e, em número considerável, ideologicamente Católicos. Alias, tal distinção é irrelevante caso consideremos que no Brasil protestantismo é sinônimo de Pentecostalismo e não de protestantismo histórico. Daí a construção do mito do pentecostalismo progressista, afinal se é pentecostal é marcadamente 'ortodoxo', bíblico ou fundamentalismo. Basta entrar numa livraria protestante qualquer para dar-se conta de que para os pentecostais, em quase sua totalidade, o liberalismo teológico e moral - Assumido por algumas igrejas históricas da Europa ou do Norte dos EUA - nada mais é do que uma abominável heresia ou detestável apostasia. O imaginário coletivo dos protestantes brasileiros i é dos nossos pentecostais pouco se distingue do ideário vigente nas seitas do Sul dos EUA, donde foi importado.

Por isso a propaganda anti socialista ou anti Comunista forjada naquelas terras ter sido importada com tanto sucesso para esta. Até a destruição do projeto lulopetista... Não nos impressiona este fato, já o havíamos predito e assinalado!!! Admira-nos Freixo e Lula fantasiarem ou ocultarem o problema, afirmando ingenuamente que os fundamentalistas são nossos aliados e que os trabalhistas, petistas, comunistas, sociais democratas, comunistas e socialistas de toda casta deveriam associar-se a esta gente e buscar seu apoio. Isto sim é assombroso porquanto Lula e Dilma já foram atraiçoados por esse povo! E porque o recente golpe foi ativamente apoiado por eles, a ponto de - Como na Bolívia - ter sido batizado com o nome de 'golpe evangélico'. Leiam protestante ou pentecostal ou ainda fundamentalista e terão lido corretamente. Pois sem a cooperação de um Malafaia, de um Macedo, de um Feliciano e de outros tantos charlatães, escudeiros de Ed Cunha, tal golpe não teria tido chance de sucesso. Basta ver o quanto os 'crentes' empenharam-se a favor de Cunha e de Temer nas redes sociais!!! Os papistas sem dignidade, foram de carona - como fazer já a quase meio século graças a RCC e ao ecumenismo - num segundo momento, uma vez que já não dispõem de consciência própria e assimilam cada vez mais princípios e valores exógenos de origem protestante.

O que quero dizer ou repetir a exaustão é que toda esta dinâmica do insólito deve ser analisada, lida, interpretada e bem entendida a luz do culturalismo. O protestantismo, ao contrário do que supõem ou dizem Freixo, Lula e outros jamais poderá ser aliado de qualquer tipo de política socialista por ser uma fé 'essencialmente burguesa' (Fr Engels), a qual desde seus primórdios promoveu a afirmação das forças econômicas, materiais ou capitalistas na mesma medida em que pela negação da necessidade de obras Éticas, abandonou o cenário das relações pessoais, sociais e políticas para incidir apenas sobre a fé. Este vácuo ou esta lacuna aberta pelo protestantismo nascente - a qual interpretamos como um recuo do ideal Cristão primitivo - foi que deu espaço as forças econômicas em ascensão ou ao que chamamos economicismo, o qual veio a plasmar toda cultura subsequente, ao menos a partir do século XVIII.

Eis porque o liberalismo econômico teve de surgir e impor-se antes de tudo e primeiramente numa sociedade protestante ou numa sociedade disputada pelas inúmeras seitas advindas da Reforma, nenhuma das quais poderia capitanear uma possível resistência as forças econômicas ascendentes. Destarte tiveram as seitas de omitir-se ou mesmo de apoiar a nova estrutura em formação.

Na terra pura dos EUA, na qual as culturas ancestrais foram eliminadas ou empurradas e não havia resíduo de cultura Católica, pode ser elaborado o novo modelo de agregado social, mais ou menos equilibrado, sob a égide das forças econômicas, mas mantendo uma aparência de religiosidade, concentrada apenas no além e que jamais ocupasse em questionar e transformar a realidade. Eis o Cristianismo conformista, ora ocupando a função de servo ou lacaio, e assim justificando, defendendo ou mesmo canonizando certa forma de organização social, não tão antiga. Os Ortodoxo e papistas deveriam saber, antes de todos, qual o discurso habitualmente empregado pelos pastores yankes com o objetivo de apresentar sua fé como superior a nossa... É simples: Jamais qualquer ideia socialista logrou arraigar-se nos EUA!!! E jamais qualquer esboço de simples sedição... Jamais o espectro sangrento da Revolução, que tantas vezes assombrou, ameaçou e solapou essas sociedades Ortodoxas ou Papistas do Velho mundo - evidenciado que há algo de muito errado nelas, donde procede sua vulnerabilidade - obscureceu o céu azulado dos bíblicos e puritanos... E já foi isto objeto de investigação por parte dos sociólogos da cultura... Adivinhem qual tenha sido a resposta???

É a Sociedade Norte americana estável e invulnerável face a propaganda socialista devido ao - dentre outros fatores - o ideário individualista dos puritanos e sua relação com a predestinação e aquisição de riquezas e sucesso material, faceta alias marcante do calvinismo...

O que quero repetir é que a assimilação da fé protestante, bíblica, calvinista ou pentecostal por parte dos cidadãos brasileiros acarretará, cada vez mais, uma negação de nossas autênticas tradições culturais e a paulatina assimilação de princípios e valores protestantes, do que resultará uma nova estrutura ou constelação cultural bastante semelhante a que percebemos da grande república do Norte. Da mesma maneria e modo como a assimilação do Islã com sua sharia levará qualquer sociedade a uma arabização em termos de cultura a assimilação do fundamentalismo bíblico não poderá deixar de conduzir qualquer sociedade a uma americanização e consequentemente a afirmação de uma política cada vez mais formal (em termos democráticos), puritana, minimalista, etc Marcadamente conservadora em sentido moral ou moralista. Exatamente como estamos assistindo no Brasil de hoje, momento em que Freixo e Lula mais parecem duas belas adormecidas...

Despertemos antes que tarde seja e nos vejamos numa nova Genebra de Calvino ou numa nova Meca de Maomé, tornemos as fontes de nossa cultura e a nossas tradições, princípios e valores próprios.

quarta-feira, 15 de janeiro de 2020

A paródia da Porta dos fundos e a Paródia de Jesus...

Caso esteja você a ler estas linhas saiba antes de tudo que foram escritas por um Cristão consciente e convicto. Por um Cristão atanasiano ou niceno, alias um dos poucos Cristãos atanasianos pertencentes aos altos meios acadêmicos. Por alguém que acredita piamente não apenas na divindade de Jesus mas também na Virgindade perpétua de sua mãe. Por alguém que lê o Evangelho todos os dias, que estuda a Tradição patrística, que julga ser estritamente Ortodoxo, que exerce um apostolado e estima a doutrina. Por alguém que recita as horas, faz a Páscoa e tem a seu encargo a instrução dos fiéis... Seja portanto mais rápido no ler do que no julgar. Pois certamente ficará bastante surpreendido com o que tenho a lhe dizer.

Afinal tenho quase 110% de certeza de que 99% dos cristãos que iniciarem esta leitura deste artigo julgarão que acusarei o citado grupo de comediantes ameaçando-o não apenas com os fogos eternos do inferno mas também com a violência do poder temporal... Por isso digo que vocês ficarão surpreendidos ou mesmo exasperados. Alguns ficarão indignados com o que estão por ler e da mesma forma como desejaram o câncer para os atores da porta, deseja-lo-ão para mim. E praguejarão... amaldiçoarão, etc

Sei que será assim porque nasci e fui educado como protestante. Porque tendo passado pela igreja romana conheço o que há de melhor e de pior nela. Enfim porque me tornei Católico Ortodoxo... Estando habituado a ouvir ameaças e escutar pragas por parte daqueles que deveriam antes de tudo ouvir, abster-se de julgar e abençoar; sim abençoar, pois Ele disse: "Abençoai os que vos maldizem!". Como disse: "Sereis perseguidos.", jamais: "Sereis perseguidores ou algozes." - Logo há algo de muito estranho neste novo cristianismo feroz, dos perseguidores e dos que amaldiçoam.

Partindo do princípio de que o programa humorístico em questão levou a paródia e assim ridicularizou a adorada figura de Jesus.

Não é a primeira vez que ouvimos semelhantes rumores - Caio Fábio fez-nos o favor de trazer-nos a memória 'Jesus Cristo super star'. Recordei algumas tiradas de Monty Phyton, outras tiradas bem mais agressivas do Charlie, o polêmico filme 'A última tentação de Cristo'... outras tantas personagens passaram-me pelos miolos: O Dr Binet Sanglé, Leon Tolstoi, Kazantzakis, M Mastroianni, etc De modo que bem poderia eu citar: "Nada há de novo debaixo dos céus." ou ainda "A História se repete primeiro como tragédia e em seguida como comédia."

Tudo quanto vemos e pensamos porém, em termos de distorção, blasfêmia, sacrilégio, irreverência, etc nada tem de original. Tudo 'palha' em comparação com o que tem feito os cristãos nominais no decurso dos últimos séculos. De fato a Porta nada fez ou faz além de devolver o presente confeccionado pelos cristãos nominais nas oficinas a que chamam igrejas. E já vou dizendo que não há maior nem melhor fábrica de blasfêmias e sacrilégios do que elas, e que todos os dias a humanidade tem sido levada a maldizer a pessoa de Jesus Cristo graças a tais organizações sectárias.

Nenhum Jesus mais falso do que este apresentado pelos neo Cristãos, no decurso do último século, por esta Escola de ateísmo chamada 'Teologia da prosperidade'.

Que pensar, com efeito, daqueles que pintam o Deus que aniquilou a si mesmo, despojando-se de sua glória, a semelhança de um nababo ou milionário?

Leem que seu Senhor nasceu numa manjedoura ou gruta e imaginam ter nascido ele num palácio ou berço de ouro...

Ouvem a exortação sagrada: Não junteis tesouros neste mundo... e utilizam-se de sua palavra com o objetivo de amealhar tesouros.

Escutam dia após dia: Não podeis servir a Deus e as riquezas. E acumulam riquezas em nome de Deus!

Recitam a todo instante: O que de graça recebestes, de graça dai. E cobram, e vendem, e traficam... em nome Dele.

Ouvem que Lázaro, o rico egoísta, foi lançado as chamas, e imitam-no.

Fingem acreditar ser mais fácil uma corda ou um elefante passar pelo fundo de uma agulha do que o rico entrar no paraíso celestial e tomam posse de imensa fortuna.

Sabem que ele deseja misericórdia, não sacrifício e declaram que ele deseja dinheiro! Cônscios de que ele demanda pelos corações dos homens ocupam-se apenas das bolsas e cofres...

Testemunham o Redentor conflitante com os escribas e fariseus, e cobram dízimos...

Observam o Justo ser suspenso nu, no alto de um madeiro, como espetáculo as nações; e declaram ter sido ele bem sucedido....

Percebem-no expulsando os vendedores do santuário e apresentam-no como empreendedor.

Ouvem-no proclamar Felizes os desapegados e proclamam que a verdadeira bênção é a prosperidade.

Duvidam de que Deus derrubara os poderosos de seus tronos e exaltara os pequeninos. Buscam as grandezas da terra...

Embora ele não tivesse uma pedra sobre a qual depor sua fronte cansada eles habitam em castelos.

E não tendo nascido num castelo é sepultado num túmulo emprestado.

Em sua maldade tem ousado comparar a jumenta com que entrou em Jerusalém a uma Ferrari, ignorando que seja um puro sangue árabe...

É até se esforçam por demonstrar que este nosso Jesus foi um milionário ou avarento.

Todas as bem aventuranças exaltadas pelo Senhor eles substituem pela posse de bens materiais e para eles o Mestre até Poderia ter sido um banqueiro ou Senhor de escravos.

Avançado pela senda da iniquidade autorizam a venda de toda sorte de amuletos e bugigangas, estabelecem taxas e proclamam feliz ou bendito o comprador.

Por fim, completando todas as medidas, afirmam que Deus ama e recompensa aquele que paga ou oferece dinheiro com sinais e prodígios; assim que o Santo comercializa seus dons e vende suas graças; embora ele diga e repita - NÃO FAÇO EU ACEPÇÃO DE PESSOAS.

Mas eles assegura que este Jesus favorece o rico e prefere o milionário.

Oferecem a pobre humanidade um Jesus que se vende, um Jesus corrupto, um Jesus venal, um Jesus avarento e prostituido!!! Eis o ídolo podre que tem eles oferecido aos tolos nestes últimos cem anos! Eis a paródia... Substituíram Jesus por Tetzel, o traficante de indulgências desmoralizado por Lutero, e este que seu mestre apresentou como ímpio e vil transformaram em Deus.

Que tem de concreto, histórico e real este novo Jesus 'empreendedor' e financeiramente bem sucedido, concebido a imagem e semelhança dos pastores avarentos? Nada.... Absolutamente nada.

Tendo recebido a oferta desse Jesus estranho, como uma espécie de tapa ou bofetada, a humanidade - insultada pelo pentecostalismo - revida por meio da Porta dos fundos...

Recebemos por paga uma paródia da paródia que fizemos. A nossa no entanto foi feita por supostos homens de fé...

Julgo que a paródia do Gregório seja depurada ou menos maliciosa e grosseira.

Esperneia agora esse mesmo 'bom cristão' ou cidadão exemplar que há mais de século assiste Jesus ser apresentado como vendilhao sem jamais ter pensado em protestar...

Pelo menos dos Católicos o protesto chega com atraso.

Acaso não tem eles engolido essa teologia podre da prosperidade... Sem soltar um suspiro ou dar um grito....

Verdadeira blasfêmia não é a porta dos fundos apresentar o Redentor como um homossexual, que isto não muda coisa alguma nem o atinge....

Verdadeiro sacrilégio é você Ortodoxo ou romano 'devoto' sem obras - é portanto de alma protestantizada - sair da liturgia ou da Igreja e passar pelo pobre ou pelo mendigo, batizado, membro de Cristo e irmão seu, sem sequer olhar para ele ou dar-lhe a esmola de uma palavra... Julgando ser ele um parasita ou vagabundo.

Se isso não é capaz de choca-lo ou de sensibiliza-lo julgo que Nosso Senhor poderia apontar para si e dizer aos atores - Maior pecado tem quem finge ou afeta crer em mim e NÃO crê ou NÃO vive...

Vivemos assim num tempo em que fariseus batizados continuam a coar elefantes e no qual os vendilhões, expulsos pelo Senhor do templo, parecem ter se refugiado na Igreja ou no corpo da cristandade nominal...







segunda-feira, 13 de janeiro de 2020

Hipocrisia - O PECADO ESSENCIAL...

Já registrei no artigo anterior - Os Católicos Ortodoxos ou os apostólicos romanos, cujos ancestrais perseguidos, através dos apologistas (Como Melitão, Justino, Tertuliano, Miltiades, Apolinário, etc) revindicaram para si mesmos o direito de escarnecer do paganismo antigo, que era a crença majoritária dos gregos e romanos, mostram-se oportunistas, desonestos, anti éticos, etc no momento em que recusam-se a reconhecer que os neo pagãos, ateus, materialistas e incrédulos fazem jus ao mesmo direito, enfim a liberdade, a liberdade de criticar o que a seu ver carece de sentido.

Colocar-se o Cristão acima do incrédulo ou do pagão, ao menos do ponto de vista do Evangelho, da Tradição e do Catolicismo é pura arrogância. Pois é glória do Catolicismo ou da Ortodoxia, reconhecer a universalidade da condição humana, estendendo suas prerrogativas, na forma de direitos, a todos os mortais. Os sectários aspiram fazer da liberdade monopólio seu. Não os Ortodoxos fiéis a tradição, posto que Jesus Cristo jamais divulgou tais ensinamentos, e jamais buscou constranger externamente qualquer pessoa, obrigando-a a crer. Tampouco recorreu ao aparelho estatal ou a César com o objetivo de silenciar seus oponentes, optando pela via da refutação. Assim seus adoradores e servos, os quais sabem estar César separado de Deus e Deus separado de César. Como sabem ser ilícito decidir pelo outro, o que não passa de mais uma forma de dominação.

É assim, dever dos Cristãos Católicos e Ortodoxos - também dos papistas e anglo católicos (Uma vez que buscam raízes na Tradição) colocarem-se no lugar do outro e permitir que sua fé seja criticada ou mesmo ridicularizada - Por aqueles que julgam estar ela errada - se pretendem criticar sobriamente os erros alheios. Pois buscando calar o outro poderão vir a beber do próprio veneno e ser eles mesmos calados, quando não torturados e mortos, por seus oponentes. Eis porque o regime de direitos afirmado pela democracia - apesar de seus imperfeições - é o menos danoso.

Ademais esses Católicos que apreciam falar grosso com minorias de ateus, materialistas e incrédulos, são os mesmos que costumam falar mansinho com os fanáticos que invadem seus templos e despedaçam suas imagens, classificam a eucaristia como pão vulgar, apresentam a Virgem como mulher ordinária, os santos como ídolos pagãos e todo nosso culto como politeísta e supersticioso. A todo momento estão os fundamentalistas protestantes e sectários escarnecendo a fé professada por nossos ancestrais, não menos que do Candomblé e da Umbanda... Do ponto de vista Católico Ortodoxo ou mesmo romanista todo protestante é um blasfemador, sacrílego, irreverente, etc Então por que os neo romanos ou os Ortodoxos hipócritas não recorrem as leis com o objetivo de reprimir ou conter a sanha dos pastores??? Mas onde chegamos: Os ortodoxos de palha ou romanistas sem consciência se associam a blasfemadores (que dizem ter fé) com o objetivo de denunciar blasfemadores (os quais estão escusados por não professarem a fé)... Onde está a coerência??? Ao menos não é o grupo do Gregório Duvivier que invade igrejas para estilhaçar imagens...

De fato os ortodoxos e palha e neo papistas converteram-se uns e outros em agentes ou imbecis úteis do fundamentalismo protestante (este sim essencialmente anti Católico e anti Cristão - Mil vezes mais que o Comunismo ou o Anarquismo). Salve-nos o Duque de Guize! Este bem sabia que era oposição interna e essencial... Triste ver esses rebotalhos de cristão assumindo causas inglórias, que não são nossas e não nos pertencem; assim o criacioburrismo, o puritanismo, a inspiração plenária, os mitos do AT, o capitalismo {!!!}... Trindade, Eucaristia, Virgindade perpétua de Maria, comunhão dos Santos, imagens, etc Tudo isto passou a segundo plano e podemos dizer que os neo Cristãos perderam a consciência, o sentido, a piedade, a cabeça. Vivemos num tempo em que a apostasia dirige seus olhares a blasfêmia. No entanto nossos bons ancestrais sabiam que negar a virgindade perpétua de Maria ou a presença do Senhor no Sacramento não é menos blasfemo ou irreverente do que qualquer pantomima da Porta dos fundos. Alias se a porta chegou até aqui não foi senão graças ao Protestantismo. Afinal por que não pode ela tecer críticas destemperadas a Jesus senão porque eles, os protestantes, antes puderam referir-se nos mesmos termos a Virgem Santa, ao Sacramento ou aos Santos???

As mesmas raízes e tradições que obrigam-nos a tolerar civilmente os protestantes. Obrigam-nos a tolerar a porta dos fundos, Monty Phyton ou quaisquer outros espetáculos irreverentes. A menos que os protestantes gozem de privilégios, devido a covardia dos neo Cristãos, ortodoxos e romanistas.

Que os Católicos portanto tenham vergonha na cara e abstendo-se de tomar parte nessas manobras com que o protestantismo busca consolidar seu poder teocrático. Porque neste poder que abate igrejas e terreiros está a verdadeira ameaça. Na medida em que antecipa entre nós as ações dos jihadistas no Oriente. Todo este mal deve ser cortado pela raiz, e todos devem se obrigados a respeitar-se mutuamente, NO QUE DIZ RESPEITO AS VIDAS, BENS E AÇÕES... Mas sequer criamos leis rigorosas contra os que invadem e depredam templos de outras religiões ou contra os jihadistas...

Chegados ao protestantismo e a esse conglomerado de seitas que ora levanta-se contra a Porta dos fundos, temos, até onde sabemos, de aplaudir o pudor, a coerência e a lealdade dos que abstiveram-se de recorrer aos Estado - Os papistas manipulados, fazem o trabalho sujo para os pastores ambiciosos. Somente quem sabe que seja Livre exame percebe a monstruosidade de qualquer seita ou pregador bíblico recorrer ao Estado (Com o intuíto de canonizar ou impor sua opinião individual)... É o protestantismo, desde seu berço, o império da subjetividade, da individualidade, da escolha e da variação. E é seu padrão uma autoridade que deriva da análise ou leitura subjetiva. Por isso não pode ele alcançar a uniformidade sem trair a si mesmo e substituir o Livre exame pelo princípio Ortodoxo e Católico da autoridade externa.

Recorrendo a autoridade contra quaisquer dissidentes - Leitores ou estudantes da Bíblia - o protestantismo suicida-se. Recorrendo a autoridade secular com o objetivo de impor-se, sepulta-se e apodrece...

Portanto se o pastor X julga-se no direito de escarnecer do que os umbandistas ou candomblecistas julgam divino, e o profeta N de comparar a senhora aparecida a um frasco de coca cola, que direito tem eles de melindrar-se quando o Gregório Duvivier escarnece do Cristo??? Em que é essa gente, que ridiculariza a Ortodoxia, o papismo, o kardecismo, a umbanda, etc superior aos outros??? Se escarnecem com arrogância porque não podem, também eles, experimentar o escárnio e sofrer o mesmo que causam aos outros? É muito simples: Quem não quer ver sua fé escarnecida que ao menos tenha o bom senso de não escarnecer da alheia. Uai - Querem o respeito da Porta dos fundos??? Comecem respeitando as crenças dos papistas, umbandistas, espíritas, hindus, etc Com que direito alegam que a Porta não tem o direito de brincar com o que é sagrado para eles uma vez que não cessam de brincar com o que é sagrado para os outros??? Toda Lei unilateral é essencialmente opressora. Por isso temos de reconhecer o mesmo direito a todos. E se desejamos brincar com alguma superstição ou fé, não nos incomodemos com a Porta.

Tampouco concebamos que o Cristo se incomoda ou que é abalado por ela. A ponto de perder as estribeiras ou de ficar encolerizado, a exemplo de minha vizinha quando é chamada de namoradeira, o de minha tia, quando chamada de bruxa fofoqueira. Irritam-se elas enquanto criaturas limitadas. Deus porém... Longe de nós supor - como disseram nossos Lactâncio e Arnóbio) que aquele no qual subsiste a eternidade, fique irritado como um mortal qualquer.

Por outro lado, fosse Deus mesquinho e sujeito a perturbações - como a cólera - não lhe faltariam meios para punir seus críticos. Afinal se o escritor mais antigo e ingênuo fazia o nume dos judeus depender do braço de Moisés ou de generais e armas com que castigar os ímpios, blasfemadores e sacrílegos; o escritor mais recente e judicioso recorria já a terremotos, maremotos, secas, pestes, furacões, raios, etc como formas de punição... questionando que dependesse o Deus Todo Poderoso dos insignificantes mortais para preservar sua dignidade. Nada de mais justo. Afinal por que precisaria Deus ser defendido por suas criaturas ao invés de exercer ele mesmo a vingança e punir seus inimigos, os blasfemadores??? Que poderia ser comparado, como demonstração de poder, ao raio que parte e tritura? Nada mais blasfemo do que essas sharias e inquisições ou poderes que visam proteger ou vingar o Sagrado, uma vez que não lhe falta poder, assim os velhos raios??? Por que não entregar as punições e castigos nas mãos do Juiz que tudo vê e sabe? Antecipando seus juízes por meio de decretos falíveis. Posto esta que castigar em nome de Deus é ceticismo e em lugar dele usurpação. E ninguém é mais blasfemo do que aquele que entrega a verdade a proteção do poder secular, do qual o Numinoso não precisa.

Além disto os cristãos carnais dizem crer que se vingará Deus e punirá seus inimigos no dia do juízo final ou mesmo do juízo particular (os Latinos e protestantes). E com castigos que declaram ser perpétuos e sem fim {Nós cremos apenas em castigos educativos, medicinais, provisórios e finitos). Destarte, se punirá Deus os seus supostos inimigos no além túmulo, que sentido faz, o homem falível, antecipar tais castigos??? Por isso está decretado que o trigo e o joio cresçam lado a lado até o último dia. E não pode o Estado ou a Sociedade restringir as liberdades ou antecipar castigos sem usurpar o lugar do Supremo Juiz. Não há, com efeito, maior blasfêmia ou sacrilégio do que este estado teocrático, que ousa fazer-se Deus. Aqui a suprema idolatria!!! César é César e Deus é Deus, sem que se misturem, associem ou confundam.

É o que por ora temos a dizer sobre esta perigosa linha de pensamento que pretende restringir não o que a Porta possa apresentar mas o que os cidadãos possam assistir, uma vez que não são eles crianças pequeninas, incapazes ou tutelados, mas homens livres em posse de um aparato racional.

domingo, 12 de janeiro de 2020

A porta da frente da inquisição ou da sharia.

 Gregório Duvivier e Fábio Porchat no 'Especial de Natal Porta dos Fundos: A primeira tentação de cristo' Foto: Divulgação




Em diversas publicações e miríade de autores, dou com a informação de que 'no passado não muito distante 'eram os homens proibidos de tecer a mais leve crítica a religião vigente. Os que ousavam, eram, não poucas vezes condenados a morte e antes de morrer torturados com requintes de sadismo (Os blasfemadores por exemplo, tinham suas línguas perfuradas por pregos ou alfinetes, quando não arrancadas). Tudo em nome do BOM DEUS... E imagine só se NÃO fosse bom...

Eis o que lemos nos livros de História... E posso responder 'Uma ova'. NÃO porque não tenha acontecido até a vulgaridade, mas justamente porque ainda acontece em grande parte do mundo por nós habitado.

Assim onde impera a sharia e o fundamentalismo sunita/hambalita/wahabita/salafita - perdoem o monstro conceitual - se você ousar tecer críticas ao Corão ou negar a missão sagrada de Maomé, dizendo ser ele um homem comum, seu destino será o apedrejamento ou a forca, conforme a receita do ISIS...

Aqui no Oeste decadente há quem sinta saudades de semelhante regime e sonhe com fogueiras ou barrotes....

Aspirando punir meras palavras ou opiniões - que a DEUS certamente não atingem - hoje com o silêncio forçado, amanhã com fogueiras, uma vez que não as podem reascender da noite para o dia...

Cristão, Católico e Ortodoxo 'um tanto conhecido' ou famigerado, vanglorio-me de ter composto umas boas defesas da fé, da metafísica, da credibilidade dos Evangelhos, dos motivos e fundamentos da fé, etc Por isso deploro que a Excelsa Trindade ou o Verbo encarnado tenham de sofrer injustos ataques por parte dos que não professam nossa fé. Aos que sinceramente creem e amam é certamente doloroso ver o que se ama ridicularizado. Não que seja Deus atingido. OS ATINGIDOS SOMOS NÓS...

E no entanto conhecemos muito bem os Cristãos, em especial os sectários e fanáticos que ditam moda aos tempos... Então parece que há coisa muito mais séria que a porta dos fundos... E a justiça começa sempre em casa. "Por causa de vós o nome é blasfemado!". Palavras sábias e prudentes, escritas NÃO por mim...

Cristão com espírito judaico ou islamizado. Trocando palavras por vidas... apenas porque seus delicados ouvidos sentem se feridos. Mas... ao contrário do BOM Samaritano, nosso cristão devoto - fazendo companhia ao sacerdote e ao levita- passa a largo do irmão, do pobre, que vê largado a beira do caminho... E pau na porta dos fundos! Acaso não é isso querer soprar o cisco da vista alheia tendo um poste na própria??? Então se a porta dos fundos responder e perguntar pelo essencial: AMOR, JUSTIÇA, MISERICÓRDIA, PAZ, COERÊNCIA... Como não dar razão a porta dos fundos e merecer o título de fariseu hipócrita.

Direi mais é irei além!

Cristo, se algo o abala, deve sentir-se bem menos abalado ao ser apresentado como homossexual, prostituto ou bêbado do que ver seus adoradores e servos associando seu augusto nome a uma das mais degradantes formas de idolatria conhecidas: A avareza, o culto de Mamon, o capitalismo! Apenas porque SEU FILHOTINHO, o comunismo, esta errado. Desde os dias do falso profeta Calvino vocês tem professado esse binarismo maligno ou falso dilema e se nosso Deus e redentor fosse pintado pela Porta dos fundos como um empresário vitoriano bem sucedido ou como um Scroge, definido por S Ambrósio ou S Basílio como bandido (entre nós homem de bem!) todos assistiram e aplaudiriam encantados.

TIVESSE o Jesus da Porta três mil funcionários miseráveis, sem direitos e vivendo de salário. Como a família Raferty, descrita no Vale da decisão vocês nada veriam de estranho. E acharam cristianissimo o quadro das mães esqueléticas e crianças ranhentas chorando por uma côdea de pão velho... enquanto nosso Jesus empreendedor estaria badalando em Paris ou NY... Seria um fracasso porque vocês não ririam e jamais compreenderam o verdadeiro sentido de blasfêmia ou sacrilégio. Por que a mentalidade de vocês nada tem de Evangélica mas de farisaica.

É o eterno coar mosquitos...

Vocês só se interessam pelo que as pessoas comem, bebem, vestem ou fazem em matéria de sexualidade, mas desprezam a vida e a dignidade do próximo, que é um filho de Deus batizado... E nem mesmo diante de cenas pintadas por um Dostoievski, por um Dickens ou por um Gorki vocês se comovem e fazem penitência. Lavam o exterior dos vasos e poluem o conteúdo, quando não o destroem. E não a pingo de consciência Cristã nesse puritanismo afetado. Deseja Cristo empatia e não esse moralismo insensível, digno do espírito das trevas.

Vocês com a mesma língua viperina louvam Jesus e no instante seguinte sancionam a agressão, o julgamento, a arrogância, o morticínio, o ódio gratuito... Tudo quanto ele anatematizou! Além de apoiarem decididamente a opressão, a injustiça e descuidarem da vida! Nada mais ímpio do que essa anti ética, fundamentada na avareza e no egoísmo. APENAS ALMAS ESPIRITUALMENTE OCAS OU VAZIAS PRECISAM JUNTAR BENS MATERIAIS ATÉ O INFINITO...

Isto quanto a ética, que vocês subverteram.

E quanto a fé???

Se o muçulmano facilmente tomará a Evolução das espécies como heresia, sacrilégio e blasfêmia, a honestidade nos constrange a reconhecer que nossos Ortodoxos não se sairiam melhor associando a Trindade Excelsa, a Encarnação do Verbo e aos Sacramentos frioleiras tais como 14 mil (rsrsrs) Santos inocentes ou as 11 mil (kkkkkkkk) companheiras de S Úrsula, e mais ícones que vertem mel ou sangue, que choram, etc Os neo papistas canonizado todos os delírios dos pastorinhos, da irmã Faustina, do Pé Gobbi, de Jacarei... igualariam todas essas aberrações ao Evangelho e se mataria uns aos outros, acusando os que não creem ou os mais cautelosos de heresia...

Então se você ousasse criticar algumas dessas lendas toscas sobre os Santos e supostos milagres ou falsas revelações, seria forçado por lei a calar-se do que resultaria o triunfo, não dá fé esclarecida e sóbria, que honra Jesus Cristo, e sim da credulidade e da superstição.

Afinal qualquer grupinho de fanáticos sente-se melindroso ao ser criticado. A divina Revelação porém não tem o que temer e tampouco pode ser atingida por qualquer crítica. É portanto benéfico a comunicação da verdade que todos possam ser criticados ou mesmo expostos ao ridículo por seus oponentes. Exatamente por isto o Cristianismo nascente sempre reivindicou o direito de criticar ou mesmo de escarnecer certos aspectos do paganismo antigo. E não podemos ser dúplice ou hipócritas - Tal direito estende se a todos, inclusive a nossos adversários e não podemos reivindicar a liberdade apenas para nós, como se monopólio fosse.

Ou imitaremos os antigos pagãos, com os judeus e maometanos???

Por isso a todos os homens, concordem ou não conosco, atribuímos o exercício da liberdade, a liberdade de pensamento e de expressão. Sem quaisquer limites ou pretensão de domínio.

Imagine agora então se o cristianismo protestante dá de canonizado politicamente  bíblia inteira ou todo velho testamento, pondo Moisés na carcunda de Jesus??? Alegando que é sacrilégio, é portanto ilegal, tirar sarro da mulher costela, do tal dilúvio cobrindo os Himalaias, da burra falante, etc POIS É EXATAMENTE AQUI QUE OS PROTESTANTES QUEREM CHEGAR - TORNANDO SEU LIVRO INVULNERÁVEL OU INATINGÍVEL POR LEI.

E isto teria consequências infinitamente mais catastróficas do que as bobagens ou tolices da Porta dos fundos.

Num prazo bastante curto a nova Genebra de Calvino - com que vivem a sonhar nossos pastores fanáticos - deveria lugar a sharia dos sunitas e ao fim de nossa sociedade tão precariamente civilizada. Toda e qualquer ordem repressora ou inquisitorial seria a porta da frente do salafismo. Por isso a liberdade - mesmo quando redunde em injustiças- é nossa suprema garantia.

POR ISSO COMO CRISTÃO DEVOTO, CONSCIENTE E MILITANTE aplauso de pé a decisão do STF, que consolidando os fundamentos da democracia, garantiu os direitos da Porta dos fundos e dos que desejam assistir o que ela tem a oferecer-lhe. Ninguém está sendo obrigado a assistir, como ninguém ou estância alguma, tem o direito de decidir por outrem. QUEM NÃO QUISER ASSISTIR NÃO ASSISTA - DESLIGUE A TV E PRONTO.... OU FILIE-SE AO ISIS E VÁ PRA MEDINA, MECA, BAGDA, DAMASCO...

Pois o grande perigo não é a porta dos fundos ou suas piadas mas o sectarismo intolerante dos nossos cristãos 'bíblicos', o fundamentalismo islâmico, as inquisicoes, a sharia, a teocracia... Tais os espectros arrepiantes que assombrarão nosso futuro.

O mais - Nossos grandes pecados: avareza, injustiça, egoísmo, insensibilidade, arrogância, hipocrisia, etc - já conhecemos muito bem.

sexta-feira, 2 de agosto de 2019

As empregadas na literatura clássica.

Resultado de imagem para Mary Rafferty decision Valley


Há no mínimo duas Nastasyas na obras de Mestre Dosto.

Uma casa-se com Mishkin e leva já sobrenome: Pilippovna. A outra, de 'Crime e castigo' não passa de uma criada sem sobrenome, a que chamam simplesmente Nastasya.

Ao contrário da primeira a segunda não é personagem de primeiro escalão nas crônicas de Rodion, mas personagem de segundo plano, o que não é suficiente para tirar-lhe o encanto, ao menos quando serve chá ao atribulado hóspede esfaimado...

Esta Nastasya como tantas Marias ou Creuzas espalhadas pelo Brasil e mesmo pelo mundo, não tem sobrenome, talvez por pertencer a grande massa dos que servem e produzem. Os marxistas costumam classificar tais pessoas como Lupem e as elites a trata-las com desprezo e até mesmo negar-lhes os mais elementares direitos, e há pouco vociferaram quando o Estado brasileiro concedeu-lhes um amparo bastante sumário.

Apesar de estar a margem da obra clássica, Nastasya não deixa de ser interessante, já por ser pintada por Dostoevsky com a acuidade psicológica que lhe é própria ou singular. E a partir do que narra muito resta a imaginar-se. O mestre russo é tão fascinante que narra ou fala justamente quando omite ou silencia. É consumado em sua arte...

E ficamos nós a perguntar-se sobre um possível amor platônico cultivado pela serviçal. Cujo objeto seria o conturbado Rodion...

Amaria Nastasya e por isso apagar-se-ia face a um amor problemático ou impossível? Permanecendo sempre ali como fiel escudeira ou anjo tutelar? A exemplo das esposas de Carlyle, de Lord Beaconsfield ou da fiel Carolina, esposa de mestre Machado???

Intuo uma certa devoção por parte de Nastasya face ao rebento de Pulchéria Românovicht, associada a diversas virtudes como a compaixão, a discrição, a praticidade... enfim tudo quanto aponta para uma sabedoria divina. No entanto com ela ficamos no 'umbral' e 'Crime e castigo' não é obra que se concentre na vida da apagada serviçal...

Passemos assim a outro clássico calhamaço onde topamos com outras tantas empregadas ou serviçais, assim o 'Vento levou' de M Mitchell (1936) obra focada na figura de Scarlett O'hara e que dispensa maiores atenções. Tá certo, temos também Rhett Butler, Ashley, Melanie, etc Scarlett todavia, como Rodion e Maria Rafferty, ocupa o âmago da trama, constituindo o personagem central. E é uma 'filhinha de papai', granfina ou patricinha, como diríamos hoje... Uma garotinha extremamente mimada pelo pai, fazendeiro de ascendência irlandesa.

As empregadas ou serviçais pertencem a este círculo, pois são, por assim dizer 'amas' de Scarlett. Prissy é a mais jovem e caricata, ao menos no Filme. Doutra lavra é a Mammy, a qual, superando Nastasya consegue em certos momentos da narrativa ameaçar a primazia de Scarlett. No filme a 'rivalidade' acirrou-se ainda mais e podemos dizer que a personagem encarnada por Hattie McDaniel faz jus ao Oscar que ganhou. Mammy encanta e seduz porque representa um tipo que segundo o insuspeito Silvio Romero, aqui e lá, soube vencer as adversidades e conquistar espaço a mercê dos dotes do coração, assim a 'mãe negra', entre nós representada na literatura pela igualmente marcante Mamãe Zabel, quiçá calcada na Mammy de Mitchell, mas muito bem aclimatada a nosso Brasil.

Apesar de toda esta riqueza, como dissemos, Mammy não é a personagem central da narrativa e tampouco uma obra consagrada a figura de uma empregada doméstica. E temos de esperar mais um pouco - seis anos - para apreciar o surgimento de semelhante joia, obra prima da Sra Davenport (Marcia). Aqui temos por personagem central - ou se alguém o desejar por heroína - não apenas uma empregada (O que ao tempo era já um desafio) mas uma irlandesa e católica. A antítese dos White Men's. A inversão do padrão socialmente aceito: Macho, inglês e protestante além é claro de rico...
Maria Rafferty não é nada disto, é mulher, quase menina, e mais tudo quanto dissemos, o que em Pittsburgh torna-a sumamente indesejável.

No entanto ao contrário da pragmática e estouvada Scarlett, Maria Rafferty esta bem mais próxima da mãe daquela personagem, isto tendo em vista os sólidos princípios, já Éticos, já morais, os quais cristalizavam a virtude ao tempo. Maria Raffery personifica-os e com o coração transbordante de doçura conquista a todos, inclusive ao Patriarca calvinista Scott, o qual, numa cena magnífica, triunfa de seus preconceitos e diz a Paulo, seu filho querido: Casarás tu com Maria Rafferty!

Maria Rafferty nos faz pensar na parábola do bom samaritano. Pois eram os samaritanos tão detestados pelos hebreus do tempo de Jesus quanto os irlandeses do século XIX, desprezados pelos ingleses e seus descendentes norte americanos. Maria Rafferty aqui personifica a 'boa samaritana' pois é justamente ela quem irá assistir e aliviar os derradeiros instantes da igualmente bondosa sra Scott, Clarice...

Alias, retornando a cena anterior, em que o Patriarca Scott, opta por afrontar todos os tabus e preconceitos impostos por aquela sociedade em nome da felicidade do filho, temos, já o disse, outra cena memorável e pintada com habilidade. Por meio desta cena nos dá a sra Davenport uma aula ou lição de humanismo querendo dizer que os homens sabem ser superiores a suas crenças e ideologias. Guilherme Scott é  um calvinista devoto e como tal costuma guiar-se pelos costumes, não pelos sentimentos, os quais deveriam ser imolados tendo em vista a dignidade da família. O que nos conduz a toda uma vida de convenções ou de aparências, nas qual a moral social esmaga o sentimento e o espírito. Maria Rafferty no entanto faz com que naquele coração de pedra dura passe a bater um coração de carne, cheio de amor e doçura, e posto para o objeto digno: A Felicidade do filho, pela qual ele opta face as ditas convenções, revelando-se como uma pai na plena acepção da palavra, um pai digno deste nome.

No mais as observações em termos de religiosidade - naquele recorte N Americano - não destoam, pelo contrário aproximam-se bastante as que encontramos em diversas obras: 'O fim do mundo' e 'Pamela e Satã' de Beal Sinclair, o já citado 'E o vento levou', 'Anthony Adverse'... que é o contraste entre a severidade - não poucas vezes forçada e aparente - ou a total incredulidade vigente entre os protestantes (Particularmente entre os calvinistas com seu moralismo afetado) e a sensibilidade, doçura, sinceridade, piedade e equilíbrio dos Católicos... Em todas estas obras damos com referências positivas ou elogiosas a fé Católica e com personagens marcantes oriundos deste credo então distorcido e marginalizado pela crítica protestante. Digam o que disserem é este aspecto sobremodo interessante já a Psicologia já a Sociologia religiosa.

O foco no entanto é este: No 'Vale da decisão' temos, quiçá pela primeira vez uma empregada fazendo o papel de personagem principal de uma trama, o que por si só aponta para o avanço dos costumes, em torno da mulher, do fanatismo religioso, do preconceito racial/cultural, do trabalho, etc Sob todos estes aspectos e muitos outros é a obra da sra Davenport recomendável. E não se assustem com a dimensão: Pouco mais de setecentas páginas, apesar dos erros do tradutor (As atuais edições de 'Crime e castigo' sofrem do mesmo mal), mas de um conteúdo delicioso, propício a ser 'devorado'.

Ademais Mobby Dick, Imãos Karamazov, Crime e castigo, E o vento levou, Anthony Adverse, Poço de solidão, como O vale da decisão e Mobby Dick não apenas merecem ser lidos, é um pecado imperdoável não le-los. Vençam a primeira impressão e obterão a devida recompensa.

Profo Domingos Pardal Braz, de Santos - SP