sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Dia dos professores II





São 23 horas e 40 minutos do dia 15 de outubro de 2010, ou seja faltam poucos minutos para findar o dia dos professores e não quero deixar este dia passar em branco, quero falar dos professores que marcaram minha trajetória. Este ano vou falar dos professores que tive na faculdade.

Eu tive muita ajuda na faculdade, tive professores compreensivos, é deles que desejo e vou falar.

Entrei no curso de geografia por acaso, nunca gostei de geografia, aliás eu detestava geografia, porque a geografia que eu tinha aprendido durante toda minha vida escolar era uma geografia "decoreba", sem conexão com a realidade. Um rapaz muito filho da puta safado me fez cursar geografia, em troca de um estágio remunerado num determinado museu do qual ele era curador, me formei no final de 2007, sou professor e estou esperando o estágio até a presente hora. Entrei no curso de geografia por acidente, um verdadeiro "acidente geográfico" na acepção máxima da palavra.

Por que fiquei no curso de geografia? Por causa de um professor. Quem? Luiz Maria. Luiz Maria é um senhorzinho com cabelos brancos e olhos azuis, uma pessoa muito simples e de grande saber, sabia e sabe muito. Mas o que mais me impressionava nesse homem era sua humildade e sua bondade. Nunca vi esse professor se desfazer de um aluno, nunca vi esse professor tirar sarro de alunos ou fugir de perguntas mesmo que não fossem de sua alçada. Luiz Maria era o cara! Luiz Maria não precisava de livros, ele era e é uma biblioteca viva e racional. Para dar aulas Luiz Maria precisava de 3 coisas:
1ª Sua voz;
2ª giz;
3ª nossa atenção.
A professora Vera Lúcia Avim, que hoje está morando na Irlanda, é minha ex-professora mas não minha ex-amiga. Foi uma professora competentíssima, brincalhona, culta e bondosa. Recordo-me que uma vez fiquei muito doente, peguei uma virose, não tinha pegado atestado e, portanto teria que fazer uma outra prova, esta paga. Conversei com a professora Vera Lúcia, e qual foi minha surpresa? Ela disse que eu não precisaria fazer sua prova, ela iria me atribuir a nota do primeiro bimestre, que tinha sido 9,0. Disse-me que eu não tinha que provar nada à ela, pois ela sabia de minha capacidade. Aprendi com ela uma grande lição: a da confiança no aluno!
A professora Eliane não era de geografia, ela lecionou para minha turma práticas pedagógicas. No último semestre eu quase não tinha ido à faculdade, estourei de faltas, praticamente "dp" (dependência) em todas as disciplinas. Eu estava com depressão e a beira do suicídio. A professora Eliane fez de tudo para me ajudar, e se eu consegui me formar foi graças à ela que correu "atrás do prejuízo" por mim.
A professora Raquel que me lecionou didática, e depois aulas de metodologia científica também me ajudou bastante, ajudou-me a formatar meu TCC, sem o que eu não teria me formado.
A professora Ângela Frigério, professora inteligentíssima, de quem no último semestre, só assisti duas aulas, me ajudou muito, deu-me um trabalho de compensação de faltas e para as notas. Ela justamente poderia ter me deixado de "dp", mas não deixou.
Aprendi com esses meus professores a lição das lições: a empatia. Muitas coisas eu já esqueci, mas alição que me faz mais humano essa eu levarei comigo pela vida afora. Provavelmente este texto será lido por minha querida amiga e ex-professora Vera Lúcia Avim, e eu a agradeço por tudo o que fez por mim e em sua pessoa agradeço os professores maravilhosos que tive na Faculdade Don Domênico.

3 comentários:

J.L.Tejo disse...

Que coincidência: também tive um professor de Geografia, marcante, no 2º grau. Outros de nota (sem trocadilho) foram um de Física, também no 2º grau, e um de História do Pensamento Econômico (acho que era esse o nome da disciplina), já no curso de Direito.

Cada um a seu jeito, fizeram parte de minha vida- não apenas acadêmica.

Fica também minha homenagem a todos os mestres, você inclusive, companheiro Fernando.

Domingos disse...

Tive o grato prazer de conhecer Mestre Luiz Maria na Católica quando cursei História.Não foi meu professor mas, eventualmente, cruzava com ele pelos corredores do prédio e acabavamos trocando algumas palavras. Homem duma humildade impar jamais evitava ou menosprezava qualquer aluno, muito humano e acolhedor esse profo marcou muito minha formação.
M Angela Frigério tbém conheci de passagem, certa vez fui a sua sala pedir alguns gizes e ela me perguntou três vezes: Giz?... Giz... Giz... Ah sim giz! Foi muito engraçado. Essa profa é a GEOLOGIA personificada, uma referência em sua área e uma pessoa muito educada.

Com minha profa Dra Clotilde Paul, aprendi a não ter vergonha de errar e a pedir desculpas a meus alunos. Com minha profa Maria Aparecida Franco Pereira, aprendi a ser fraterno, solidário e compreenssivo procurando conhecer os problemas e as situações dos educandos. Com minha profa Wilma Therezinha Fernandes de Andrade aprendi a ser jovial, calmo, metódico e enfim a arte de ensinar. Com minhas profas Clara Versiani dos Anjos Prado, Vera, Roseane Maria da Graça Lopes e sobretudo com M Maria Aparecida Rollo Del Rio aprendi a ser competente no que faço dominando amplamente os conteúdos de minha disciplina e das correlatas. Com minha profa Milena Gianonni (esta do ginásio) aprendi a amar e a incentivar meus alunos...

Agradeço ainda os profos Erci - que me alfabetizou - Edna Gobetti, Avanise, Adriano Volpini, e inumeros outros que colaboraram para minha formação nos cursos de História, Filosofia e Pedagogia, a todos eles meus melhores pensamentos e mo preito de minha mais acendrada admiração e respeito.

Fernando disse...

Obrigado por suas palavras, camarada Tejo. Abração.