sábado, 13 de novembro de 2010

Ditadura do proletariado, o que é isso?


É muito provável que você já tenha ouvido falar ou lido sobre a ditadura do proletariado. A ditadura do proletariado é no entanto uma ilustre desconhecida. Comunistas de partidos ou sem partidos falam da ditadura do proletariado sem no entanto definirem o que ela seja. Estalinistas por exemplo, crêem que a ditadura do proletariado é a ditadura de uma pessoa ou de um grupelho de "iluminados". Crêem que a ditadura do proletariado se dá por meio do autoritarismo.

Para saber o que é esse termo e porque foi usado por Marx faz-se mister saber como Marx concebia o termo.

Para Marx o Estado burguês é uma ditadura, porque é dividido praticamente em duas classes: a dos explorados e a dos exploradores. O Estado para Marx é uma ditadura independente do governo que adote: monárquico absolutista, monárquico constitucional, parlamentarista, etc...

A ditadura da burguesia tem duas características: a política que é a dominação de uma classe por outra e a jurídica que elabora as leis a favor da burguesia contra os trabalhadores.

Agora que o leitor e eu sabemos o que é a ditadura da burguesia, podemos avançar para o verdadeiro significado da ditadura do proletariado.

A ditadura do proletariado nada mais é que o Estado assumido pelos proletariados, isto é, operários e camponeses. Eles administram o Estado, mas isso não quer dizer que isso seja uma ditadura no sentido em que entendemos o termo ditadura, pois para Marx qualquer forma de Estado é uma ditadura, pois o Estado cria as divisões de classes. A ditadura do proletariado é o Estado socialista que na visão de Marx é apenas uma rápida transição para o comunismo que é a extinção do Estado porque já não existem mais classes.

A ditadura do proletariado não significa a tomada do poder pelas armas, pelas forças, pela violência, ela pode dar-se de maneira pacífica, pois Marx acreditava que a revolução se daria pacificamente na Inglaterra, porque tinha todas as condições para a revolução.

A revolução na Rússia não foi uma revolução dentro dos moldes marxistas, queimaram etapas necessárias à revolução e aquilo que começa errado não pode vir a dar certo no fim, é como uma equação matemática se você erra no começo não espere que o resultado dê certo no fim. No entanto, reconheço que muitos benefícios foram dados ao povo soviético, mas algo que começa errado...

2 comentários:

AF STURT disse...

já acabou o texto?Continuou ele.

Nekomata Reikainosuke disse...

Muito bacana estes textos que explicam de modo didático diversos aspectos do Marxismo. Para mim, que não sou especialista no assunto, é bastante ilustrativo.

Na minha modesta opinião, o final ficou um pouco incoerente. Creio eu que não cabe a comparação entre um processo histórico contraditório e complexo, com uma equação matemática que se baseia na sua coerência interna e na rigidez de procedimentos. Eu sei que não era a intenção, mas isso passa uma impressão de falta de dialética. Assim como, considerar que há uma sequência de etapas que devem ser seguidas, senão a revolução não será bem sucedida. Eu (com a limitada visão de um não especialista, devo admitir) não consigo acreditar nisso.

De qualquer forma não estou desmerecendo do modo algum mais este excelente texto.