sexta-feira, 15 de julho de 2011

Fundamentalistas querem transformar o Brasil num Estado teocrático




No site Ateus do Brasil li a seguinte notícia: Lei evangélica multará biblioteca que não disponibilizar Bíblia. Pois é, agora os protestantes se elegem deputados para inventarem leis para beneficiar suas igrejas. Isso é um atentado contra o Estado laico que não permite a união do Estado e de qualquer igreja ou crença. Fazer uma lei dessas é calcar a constituição do Brasil.

Por que uma biblioteca pública é obrigada a ter a Bíblia? Por que não o Corão? O Triptaka? Os Vedas? O Baghava-gita?

Hoje os ditos evangélicos querem obrigar as bibliotecas públicas do Rio de Janeiro a ter um exemplar da Bíblia, amanhã vão querer obrigar que as bibliotecas tenham livros de seus pastores e outras coisas mais.

Os protestantes realmente querem transformar o Brasil num campo de concentração, por causa de sua Bíblia estão se manifestando contra o PLC 122 por acreditarem piamente que o homosssexualismo é pecado, antinatural e contra os bons costumes. Eles não tem argumento racional, seu único argumento é a Bíblia disse. E por se orientarem por seus lobos pastores e sua bíblia querem transformar o mundo numa confusão, ou como num jogo de palavras feitas por um protestante alemão: "Não distinguem o que é bibel de babel", isto é, confundem Babel que é confusão com a Bíblia.

Mas os protestantes são hipócritas pois pregam seus absurdos vétero-testamentários enquanto eles mesmos as descumprem, pois a maioria dos protestantes não guarda o sábado, a maioria dos protestantes come carne de porco, o que é proibido por sua tão amada Bíblia, os homens raspam a barba o que é uma coisa horrorosa para o livro, e depois querem condenar o homossexualismo, com base no quê? Em suas conveniências? Em sua coerência é que não, posto que nem eles cumprem a lei de seu código teocrático penal.

E esses deputados "evangélicos" não representam o povo, nem sequer uma parcela do povo, mas representam um bando de rebelados que a si mesmos se põem à margem da sociedade como vítimas e excluídos, quando na verdade são eles que marginalizam os homossexuais, os católicos, os umbandistas, os candobléanos, os cientistas, os médicos, os professores, enfim praticamente toda a sociedade.

Lutemos amigos, por um Estado laico que seja justo e solidário. Pois crime é querer se insurgir contra o Estado laico baseado em códigos penais mais do que ultrapassados, como é o caso do Pentateuco. Em tempo: Ao invés dessa bancada evangélica fazer leis que de fato beneficiem as populações mais carentes e sem defesa, ela faz de sua bancada um púlpito desrespeitando toda a população brasileira não protestante fundamentalista.

Nenhum comentário: